As instalações elétricas são componentes essenciais para o funcionamento de qualquer residência ou estabelecimento comercial. No entanto, com o passar do tempo, elas podem se deteriorar e apresentar riscos à segurança dos usuários. De acordo com o especialista da Carmehil, Leonardo Oliveira, Consultor Técnico de Produtos, esta discussão é fundamental por dois motivos: segurança dos moradores e eficiência energética.

A proteção e preservação das instalações elétricas de um edifício depende muito da qualidade dos produtos e procedimentos escolhidos. Com o tempo, o desgaste natural pode danificar esses componentes, podendo ocasionar acidentes. Isso pode resultar em riscos de curtos-circuitos, sobrecargas e até incêndios, especialmente em edifícios mais antigos com sistemas elétricos obsoletos.

Instalações elétricas antigas geralmente são menos eficientes em termos de consumo de energia. Atualizar para componentes mais modernos e eficientes pode não apenas reduzir os custos operacionais a longo prazo, mas também contribuir para a sustentabilidade ambiental, reduzindo a pegada de carbono do edifício.

Sinais de Alerta

Identificar quando é o momento certo para a troca das instalações elétricas pode ser desafiador, mas há alguns sinais de alerta que os proprietários devem estar atentos. Estes incluem: fiação desgastada ou danificada, disjuntores frequentemente disparando, interruptores ou tomadas aquecendo anormalmente, ou luzes piscando ou oscilando.

Se qualquer um desses sinais for detectado, é recomendável realizar uma inspeção completa das instalações elétricas por um profissional qualificado.

Quais são os sinais para trocar a instalação elétrica
<span class=”hidden”>–</span>Hobi Industri/Unsplash

Quando trocar a fiação?

Segundo Leonardo, não existe uma resposta única para essa pergunta, pois o momento ideal para a troca da fiação elétrica depende de diversos fatores, como:

Idade da instalação

Os fabricantes costumam estimar a vida útil da fiação entre 20 a 25 anos. No entanto, há casos de condutores que se mantêm em bom estado por até 50 anos.

Estado dos componentes

É importante observar o estado dos fios, tomadas, interruptores e outros componentes da instalação. Se apresentarem sinais de desgaste, rachaduras ou mau contato, a troca pode ser necessária.

Sobrecarga da rede

O aumento no consumo de energia elétrica, devido ao uso de eletrodomésticos mais potentes, por exemplo, pode sobrecarregar a fiação antiga, levando a quedas de energia, curtos-circuitos e outros problemas.

Continua após a publicidade

Reformas e ampliações

Se você pretende realizar reformas ou ampliações no imóvel, este pode ser um bom momento para avaliar a necessidade de trocar a fiação elétrica.

“Embora não haja um prazo definido para a troca de instalações elétricas, é fundamental que os proprietários estejam vigilantes quanto à condição e ao desempenho do sistema elétrico de um edifício”, destaca Leonardo, consultor técnico da Carmehil.

O especialista ainda reforça que priorizar a segurança, a eficiência energética e o planejamento financeiro “ajudará a garantir que a troca seja realizada no momento certo, evitando riscos para os ocupantes e maximizando o desempenho do edifício a longo prazo”, finaliza.

Publicidade

©