Pétalas de rosa murchas e marrons.

Conhecer as pragas e doenças comuns das rosas é crucial se você deseja que elas cresçam com vigor. Afinal, é bom saber o que procurar, pois quanto mais rápido você identificar os problemas, mais rápido poderá tratá-los.

Embora o cuidado com as rosas não precise ser excessivamente complicado, essas plantas de jardim são propensas a algumas complicações. Felizmente, a maioria pode ser tratada. 

Reunimos conselhos sobre algumas das doenças mais comuns que as rosas podem sofrer, para ajudar a manter suas plantas com a melhor aparência.

1. Doença de ferrugem

<span class=”hidden”>–</span>FLPA/Alamy Stock Photo/Reprodução

A ferrugem é uma doença fúngica que causa manchas laranja e pretas na parte inferior das folhas e caules das rosas. Também pode fazer com que as folhas caiam prematuramente.

John Negus, especialista em jardinagem da revista Amateur Gardening, aconselha o tratamento pulverizando as plantas com um inseticida e fungicida sistêmico e depois coletando e queimando as folhas afetadas. “O novo crescimento será saudável”, diz ele.

Você pode ajudar a evitá-lo polvilhando sulfato de potássio sobre a área da raiz de suas plantas do meio da primavera ao início do outono, acrescenta ele. Alguns tipos modernos de rosas também são resistentes a esse problema, portanto, tenha isso em mente ao escolher as plantas para o seu jardim.

2. Cigarras

<span class=”hidden”>–</span>blickwinkel/Alamy Stock Photo/Reprodução

As cigarrinhas das rosas se alimentam das superfícies das folhas,  criando um efeito finamente manchado. O dano é pior em verões longos e secos, explica John, e muitas vezes resulta em queda prematura de folhas.

Uma saída é incentivar insetos predadores e outras criaturas em seu terreno, como pássaros e joaninhas para ajudar a prevenir infestações. Você também pode combatê-los com pesticidas, mas as cigarrinhas geralmente não são um grande problema para as rosas e, em muitos casos, podem ser toleradas.

3. Murcha dos botões

Pétalas de rosa murchas e marrons.

Se você notou que suas rosas estão murchando com manchas marrons e botões que não abrem corretamente, pode ser um problema chamado “murcha dos botões”. Isso é especialmente comum em variedades duplas e também pode afetar peônias.

“Muitas vezes ocorre quando o tempo úmido é seguido pelo sol quente”, explica Christine Walkden, especialista em jardinagem da Amateur Gardening.

Continua após a publicidade

“As pétalas externas dos botões de rosa ficam chamuscadas e parecidas com papel, e distorcem as pétalas internas à medida que se abrem. O botão e as flores podem então ser infectados com mofo cinza.

<span class=”hidden”>–</span>The Garden Website/Reprodução

“Não há tratamento para o problema além de podar os botões afetados”, continua ela. ‘Você também pode ajudar suas rosas evitando regar com sol forte ou quente, então tente regar à noite.’

John Negus diz que evitar salpicar os botões de flores ao regar suas rosas também pode ajudar. Plantá-los onde há boa circulação de ar também pode ser benéfico na prevenção da doença, pois qualquer chuva que adere às folhas e pétalas secará mais rapidamente.

Outra maneira de ajudar é alimentar sua rosa com sulfato de potássio no meio da primavera e continuar mensalmente até o início do outono, acrescenta. ‘Regue e ajudará o novo crescimento a resistir a condições climáticas adversas.

4. Larvas

Folha de roseira atacada por larvas.

“As larvas adultas põem seus ovos nos caules macios das rosas, que então se abrem deixando longas cicatrizes nos caules”, diz John. “Uma vez eclodidas, as larvas verdes se alimentam vorazmente das folhas.” As folhas danificadas rolam para dentro ao longo de seu comprimento e permanecem assim pelo resto da temporada.

Para tratar esta praga, remova os caules afetados, remova as larvas manualmente ou use um spray inseticida no início do verão, seguindo cuidadosamente as instruções do fabricante. “Não pulverize quando a rosa estiver florida para evitar prejudicar os insetos polinizadores”, diz John.

Se as folhas de suas rosas já estiverem afetadas, remova-as e queime-as.

5. Oídio

<span class=”hidden”>–</span>Paul Maguire/Alamy Stock Photo/Reprodução

Se as suas roseiras ficarem cobertas por um revestimento pulverulento branco-acinzentado, é provável que estejam sofrendo de oídio. É uma doença comum causada pelo fungo Podosphaera pannosa, podendo afetar o vigor das plantas. A umidade aumenta o risco de desenvolvimento, assim como o estresse hídrico.

Você pode ajudar a evitar esse problema, certificando-se de plantar sua rosa na posição ideal. Isso significa fornecer uma boa circulação de ar ao redor, garantindo que receba luz solar suficiente ao longo do dia e certificando-se de que o solo retenha a umidade, mas bem drenado.

Trate-a podando as áreas afetadas e descartando-as assim que detectar o desenvolvimento do problema, diz o RHS. Durante a poda de rotina de rosas na primavera, também é melhor cortar brotos mostrando manchas maiores de mofo ao redor dos espinhos. Você também pode tratar o oídio com um fungicida, seguindo as instruções do fabricante.

Via Gardeningetc

Continua após a publicidade

The post Doenças das rosas: 5 problemas comuns e suas soluções appeared first on CASA.COM.BR.

©