Prevista no projeto da arquiteta Cristiane Schiavoni, a tomada serve para conectar o carregador do celular ou algum outro eletrônico no quartoLuis Gomes/Casa.com.br

Fundamental para um projeto arquitetônico eficiente e seguro, a instalação elétrica hoje ganha importância ainda maior. É que a praticidade no cotidiano está cada vez mais relacionada às telas de celulares, computadores, tablets e TVs, além dos eletrodomésticos que têm se tornado mais presentes nas residências brasileiras.

Nesse projeto, de Cristiane Schiavoni, foi necessária uma área de home office para que a sua moradora pudesse trabalhar em casa. Sendo assim, a arquiteta mapeou todos os aparelhos que seriam utilizados no local, como notebook, celulares e impressora, até mesmo para que eles pudessem ser utilizados ou carregados ao mesmo tempo.Carlos Piratininga/Casa.com.br

Assim, torna-se ainda mais essencial a definição dos locais em que as tomadas serão inseridas, sem deixar de considerar a parte elétrica de uma residência. A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) dispõe de normas que devem ser seguidas por arquitetos e designers de interiores na hora de escolher os pontos de tomadas.

Além da inclusão de uma tomada a cada 3,5 m de parede, o órgão define três alturas ideais: baixa (por volta de 30 cm do chão), média (em torno de 1,20 m do chão) e alta (em torno de 2 m do chão).

Para ajudar nessa questão, a arquiteta Cristiane Schiavoni dá dicas importantes e ressalta que cabe ao arquiteto adequar as tomadas ao layout do projeto, sempre de olho nas necessidades do cliente, na segurança e em questões de ergonomia, para que o dia a dia dos moradores seja mais prático e agradável.

De olho no planejamento

Nesse living, pela grande quantidade de eletrônicos adquiridos pela família, Cristiane Schiavoni optou pela inserção de um grande rack, que pudesse esconder toda a fiação e as tomadas, tornando o ambiente agradável e harmonioso.Rafael Renzo/Casa.com.br

Na hora de programar a elétrica, Cristiane sugere fazer uma análise do layout, projeto de marcenaria, equipamentos e tudo que envolva a parte elétrica. Com isso, será possível desenhar e posicionar as tomadas adequadamente.

“Nesta hora, é ideal estar atento às normas da ABNT e saber quais são as necessidades do morador para aquele ambiente e como as tomadas serão usadas”, explica.

Após a análise, é a hora de chamar um profissional qualificado para colocá-la em prática. A arquiteta afirma que, dependendo do projeto, um eletricista capacitado consegue adequar as necessidades elétricas aos ambientes. Mas há situações em que é preciso consultar um engenheiro elétrico para que seja feito o dimensionamento de cargas, além de uma avaliação específica do quadro de luz.

Cuidados em quartos e salas

Nesse quarto, a tomada ao lado da cama facilita o dia a dia da moradora, possibilitando o carregamento do celular ou notebook sem precisar até mesmo sair da cama.Luis Gomes/Casa.com.br

Quando se fala em quartos, a palavra de ordem é conforto e praticidade. Neste ambiente, usamos boa parte de nossos eletrônicos e as tomadas devem ser posicionadas de uma maneira acessível para que deixe a rotina mais prática.

Continua após a publicidade

“Trata-se de um ambiente em que é necessário deixar as tomadas de fácil acesso, sem que seja preciso puxar móveis para usá-las, por exemplo”, conta Cristiane.

A arquiteta indica que os melhores lugares para posicionar as tomadas são acima da bancada da TV, da mesa de cabeceira e ao lado de uma poltrona. Também é preciso definir a altura e a posição adequada para que os carregadores possam ser colocados e retirados com facilidade.

“Outra dica bacana é apostar em tomadas com USB, que simplificam na hora de carregar nossos eletrônicos”, sugere.

Na sala, é comum usarmos muitos equipamentos fixos e portáteis, da TV e seus dispositivos até o tablet, celular e notebook, entre outros aparelhos. Por isso, o ideal é seguir a mesma proposta para o ambiente.

“Eu sempre faço uma brincadeira em que imagino onde a pessoa vai sentar para ligar o notebook ou carregar o celular e qual será a melhor maneira de posicioná-la para que tenha fácil acesso”, conta Cristiane.

Cozinhas

Nessa cozinha, a arquiteta optou por tomadas atras do mobiliário, destinadas aos eletrodomésticos, sem deixar de lado o cantinho do café, que conta com uma máquina, trazendo praticidade para o dia a dia.Luis Gomes/Casa.com.br

Na cozinha, as questões de segurança são indispensáveis na hora do posicionamento das tomadas. A instalação dos eletrodomésticos deve ser feita de acordo com o manual de cada um, que especifica questões como a potência e posição da tomada, além de especificações de segurança.

“Atenção também à espessura do fio, se ele for muito fino e o equipamento tiver alta potência, ele pode esquentar e pegar fogo”, alerta a arquiteta. Nas tomadas que ficam acima da bancada, a arquiteta sugere ultrapassar um pouco o padrão de 1,20 m para evitar que fique próxima da torneira.

Banheiro

Nesse banheiro elegante, a bancada branca, o porcelanato que emula o mármore e reveste parede e piso e a torneira de piso dourada acompanham uma tomada junto ao interruptor para que a moradora possa utilizar eletrônicos no banheiro, como secadores e chapinhas.Luis Gomes/Casa.com.br

Nesse ambiente, a posição da tomada precisa ser adequada para um bom uso de aparelhos como secador de cabelo, chapinha e barbeador. É preciso observar a segurança e permitir o uso sem risco de contato com água.

Tomadas e estética

Após definir a posição das tomadas, é hora de pensar na execução e na estética. “É preciso deixar tudo bem nivelado para que nenhuma caixinha de luz fique torta e, assim, combinar os acabamentos das tomadas com a estética do projeto em si”, indica Cristiane.

Segundo a arquiteta, os acabamentos das tomadas dão o toque final para um projeto harmônico e estilizado. “É possível escolher o tamanho, as cores e até a textura para que a peça faça parte de todo o projeto”, finaliza.

Continua após a publicidade

©