Projeto de HoearquiteturaThiago Travesso/Casa.com.br

A definição e posicionamento das cores fazem toda a diferença para conferir amplitude a um cômodo pequeno, e essa sensação de aumento do espaço pode ser trabalhada de diversas maneiras em um projeto de décor.

É como uma maquiagem facial: realçamos os pontos fortes, disfarçamos pequenas imperfeições, utilizamos brilhos, contrastes, tons claros e escuros para encontrarmos o equilíbrio perfeito.

Neste sentido, as cores são perfeitas para criar truques que dão volume. Afinal, elas carregam diferentes níveis de intensidade, brilho e refletividade à luz. Além disso, também têm energia e influenciam no comportamento humano.

Dominar as paletas de cores e saber como usá-las, portanto, são pontos-chaves no processo de ”prolongamento” do lar. Confira algumas dicas de como usá-las para ampliar ambientes pequenos:

Paredes com cor marcante e teto claro

<span class=”hidden”>–</span>Home Designing-PLASTERLINA/Reprodução

Os tons claros no teto dão profundidade (porque refletem mais a luz) e se diferenciam quando as demais paredes puxam por cor ou cores mais intensas. Essa estratégia de fortalecer as cores em volta e deixar uma tonalidade suave por cima cria sensação de espaço alongado.

O minimalismo é um detalhe precioso no design de interiores: O “quanto menos, melhor” ajuda na circulação, proporciona leveza e combina com a proposta de engrandecer o espaço.

<span class=”hidden”>–</span>Spacejoy/Unsplash

Nichos, prateleiras e armários embutidos otimizam a ocupação física. Já espelhos trazem profundidade a espaços pequenos e por isso são bem-vindos, principalmente quando posicionados de modo que possam realçar detalhes interessantes da casa.

Tons claros sim, mas sem exageros

<span class=”hidden”>–</span>Little Greene/Reprodução

As cores em tons claros e neutros refletem melhor a luz e, consequentemente, colaboram para a sensação de espaço aumentado. Mas nem por isso a casa deverá ser inteiramente branca porque o resultado final pode se assemelhar a uma sala de enfermaria.

Projeto de Cálamo ArquiteturaGuilherme Pucci/Casa.com.br
Continua após a publicidade

As cores claras têm papel fundamental para quem deseja amplificar um espaço pequeno. Os tons bem suaves, como branco, bege, cinza e off-white, podem contar com a companhia de objetos e acessórios que tragam a atenção para si, como um sofá com tonalidade terrosa ou tapete grande com listras finas, que dão a impressão de ambiente mais comprido.

Para quem gosta de cores escuras mas tem medo de usá-las em espaços menores, uma sugestão é pintar apenas parte da parede, o que dará um toque de ousadia e sofisticação sem deixar o ambiente pesado.

Tetos coloridos para disfarçar altura baixa

10 cozinhas coloridas para alegrar a casa ou o apê

A utilização de cores que destaquem o teto é uma sacada criativa porque chama a atenção ao olharmos para cima e nos faz esquecer que a altura é baixa. Cortinas presas rente ao teto e acessórios verticais grandes, como quadros, só contribuem para aumentar a sensação de amplitude.

Projeto de Studio 92 ArquiteturaMariana Orsi/Casa.com.br

A definição da paleta de cor do teto é muito importante para conseguir essa ilusão de ótica. Se a ideia é disfarçar o teto baixo, invista em tons suaves, que oferecem profundidade ao espaço com um alaranjado brilhante e harmonizam com o verde das plantas e elementos que remetem à natureza presentes no espaço.

Evite a pintura com preto ou cores muito escuras, porque refletem pouco a luz e dão pouca profundidade.

Integração de ambientes com a mesma cor

Projeto de Lia LamegoLilia Mendel/Casa.com.br

Essa é uma estratégia bem valiosa porque quebra a ideia de bloqueio entre os cômodos. A pintura de dois ambientes com uma mesma paleta de cor traz a sensação de continuidade.

No caso de uma cozinha com a sala de estar, por exemplo, a escolha de um piso único para os dois cômodos eleva o conceito de espaço integrado, deixando utensílios com cor diferente da parede para funcionar como divisórias.

Mesas, cadeiras e apoiadores em tons claros geram contraste interessante a um ambiente de cor acolhedora.

Projeto de Lia LamegoLilia Mendel/Casa.com.br

“Mais do que participar ativamente na criação de uma estética maior ao espaço proposto, as tintas contribuem com brilho e proteção contra mofo e bactérias, além de ajudar a disfarçar imperfeições na superfície.

Por isso é tão importante definir não somente a cor, mas o tipo de produto. As tintas acrílicas da Iquine, por exemplo, possuem películas anti sujeira, com alta resistência à luz, que deixam as cores vivas por muito mais tempo”, explica Jorge Holanda, Gerente de Relacionamento Técnico do grupo.

Continua após a publicidade

©