Na arquitetura de interiores, o mármore é uma escolha clássica e atemporal. No entanto, apesar de sua ampla popularidade, o material ainda gera muitas dúvidas e concepções erradas.

Para esclarecer o uso deste revestimento elegante e requintado, Renata Iervolino e Eduardo Tambellini, casal de arquitetos à frente do escritório Etri Arquitetos, identificaram os principais mitos que cercam a aplicação do material natural. Conheça-os a seguir:

Todo mármore é igual?

Projeto de Etri Arquitetos. Na foto, sala de estar com lareira de mármore.
Lareira à lenha, envolta por painel de Mármore Matarazzo, se destaca pela sofisticação dos veios dourados e o calor presente em uma atmosfera aconchegante.Leandro Furini/Casa.com.br

Um dos maiores equívocos é pensar que todos os mármores são idênticos. A diversidade de opções é impressionante, uma vez que jazidas diferentes, espalhadas pelo mundo, oferecem variações significativas em termos de cor, porosidade e aparência.

“A incorporação deste material exige uma análise minuciosa do contexto no qual será inserido, já que cada espaço apresenta demandas distintas em relação à resistência e estilo”, enfatiza Renata Iervolino.

Veja o exemplo da lareira acima, projeto executado pelo escritório Etri Arquitetos. Ali foi empregado o Mármore Matarazzo, conhecido por seus veios marcantes e durabilidade. Por aqui, esse mármore agregou valor à sala de estar, com seu visual estiloso e arrojado.

Continua após a publicidade

O mármore é indicado para áreas gourmet?

Projeto de Etri Arquitetos. Na foto, área gourmet com bancada em mármore
Bancada de área gourmet em Mármore Matarazzo impermeabilizado, atribui maior resistência e proteção contra manchas.Leandro Furini/Casa.com.br

Por meio do processo de impermeabilização, o mármore pode ser usado em bancadas de cozinha.

Contrariando a ideia geral de que esse tipo de revestimento deve ser evitado em áreas molhadas, a pedra se torna altamente resistente às manchas e umidade, desde que devidamente protegida com a aplicação de produtos específicos. Este processo requer manutenção pontual, podendo ser realizada semestralmente ou anualmente, dependendo da intensidade de uso.

“É possível integrar diversos tipos de mármore em uma área gourmet. Uma ótima opção para bancadas é o quartzito, que possui maior resistência, como os modelos Mont Blanc e o Taj Mahal”, pontua Eduardo Tambellini.

Todo mármore é caro?

Projeto de Etri Arquitetos. Na foto, área gourmet com bancada e parede em mármore.
Na área da cozinha, tanto a bancada da pia, revestimento da parede e a ilha, foram revestidos pelo Mármore Matarazzo. A suavidade de sua base branca acentuou-se com o efeito ripado, em tonalidade clara, da marcenaria presente no projeto assinado pelos arquitetos Renata Iervolino e Eduardo Tambellini.Leandro Furini/Casa.com.br
Continua após a publicidade

Da mesma forma que há muitas opções de mármores no mercado, também há uma grande variação de preços, dependendo das características individuais de cada pedra. Quanto mais rara, maior será o seu valor. Os modelos com veios mais proeminentes apresentam preços mais elevados, enquanto os de superfícies mais lisas são geralmente mais acessíveis.

“Além de sua apreciação ornamental, o mármore acrescenta distinção aos projetos. Ao escolher o modelo ideal para um espaço, é crucial considerar as informações contextuais do ambiente, assegurando que o mármore se torne uma peça central que harmoniza, ao invés de saturar a visão”, destaca Renata.

 

Publicidade

©