Recurso excelente para a funcionalidade de uma casa, prateleiras também são a ‘moldura’ perfeita para enquadrar coleções literárias | Projeto: Aiê Tombolato.Mariana Orsi/Casa.com.br

Uma casa que reflete a personalidade dos moradores, com suas grandes paixões e hobbies permeando cada cantinho. Assim é o lar de um leitor! O melhor de tudo isso é que existem várias opções para incorporar a literatura no décor e, até mesmo, torná-la destaque no cômodo.

O refúgio particular do dono deste imóvel é a sua própria sala de estar – ou, melhor: sua sala de leitura. Seis prateleiras longas compõem a estratégia de Aiê Tombolato para garantir que o morador tivesse sua personalidade refletida no décor | Projeto: Aiê Tombolato.Mariana Orsi/Casa.com.br

A arquiteta Aiê Tombolato, à frente do escritório que leva seu nome, está acostumada a lidar com um amplo volume de exemplares na hora de planejar os projetos – já trabalhou com um acervo pessoal de mais de mil publicações – e tem muitas inspirações para compartilhar.

Essa história, envolvendo tantas publicações, começa com um cliente apaixonado por livros, que optou por adquirir um apartamento de 100 m² em um prédio novo, direto da construtora.

Projeto: Aiê Tombolato.Mariana Orsi/Casa.com.br

Para garantir uma residência que atendesse à personalidade do morador, Aiê entrou em cena propondo um verdadeiro recomeço ao elaborar um desenho que tinha como destaque tudo que ele mais desejava: um espaço para expor sua vasta coleção literária, composto com peças de design brasileiro e elementos clean.

“‘Muitos livros!’: essa sempre foi a primeira frase que o cliente me disse, nas 3 vezes que trabalhamos juntos. Neste apartamento, a sala tem a parede literalmente coberta de estantes, deixando somente o espaço para a porta de entrada”, conta a especialista.

Em vez de criar uma estante escondida em outro ambiente, ela ficou bem ampla na área social – vai de uma ponta a outra da parede (4.30 m de altura e 2.60 m de comprimento) e pode ser vista logo na entrada | Projeto: Aiê Tombolato.Mariana Orsi/Casa.com.br
Continua após a publicidade

Partindo dessa premissa, o foco foi criar uma distribuição apropriada para o acervo de quase 1.500 livros do morador. Para alcançar esse objetivo, a arquiteta criou 6 prateleiras que percorrem a parede mais extensa da sala, realmente tornando os exemplares os protagonistas do ambiente.

O acabamento da estrutura, com fixação metálica na parede e grapas por trás do painel, foi feito em folha de carvalho natural de finalização fosca.

Prateleiras e estantes

Uma ampla parede branca, de frente para a cozinha, virou um painel de marcenaria com prateleiras de pouca profundidade, que passou a abrigar os livros da família e alguns objetos e imagens que contam histórias deles | Projeto: Aiê Tombolato e Livia Salem.Rafael Renzo/Casa.com.br

Ao pensar em uma estante para abrigar livros, um dos primeiros passos é analisar a quantidade e peso das publicações, fator que influencia no layout a ser escolhido, bem como o suporte. Destes, existem diversos disponíveis no mercado, idealizados para aguentar de 50 kg a 160 kg, se instalados corretamente.

Projeto: Aiê Tombolato e Livia Salem.Rafael Renzo/Casa.com.br

Uma dica certeira para fugir da desorganização e de uma manutenção muito assertiva do acervo são travas distribuídas em alguns pontos da estrutura, para evitar que as obras tombem para o lado. E, ainda, acrescenta bastante ao décor, dando a impressão de um porta-livros.

Décor com livros

Este recuo no quarto foi transformado em uma pequena estação de trabalho, predominantemente em marcenaria. A estante de menor escala traz cor, por meio dos livros e objetos decorativos | Projeto: Aiê Tombolato e Livia Salem.Rafael Renzo/Casa.com.br

É interessante selecionar uma edição que possua uma capa mais trabalhada, ou que tenha significado especial para os moradores, e deixá-la em destaque, apoiando-a contra a parede da estante.

Mas só o fato de ordenar os livros de uma maneira esteticamente agradável é capaz de dar uma cara totalmente nova ao décor do espaço, seja ele uma sala de estar ou, até mesmo, ambientes menores, como quartos e corredores.

Para quebrar aquele visual de livraria tradicional, Aiê recomenda intercalar a forma de distribuição das publicações, colocando algumas em sequência vertical (em pé) e, as demais, na horizontal (uma em cima da outra).

Continua após a publicidade

©