Muitas vezes negligenciado, o hall de entrada é como um sorriso caloroso de boas-vindas em sua casa. “Ele evoca um vislumbre daquilo que está dentro”, diz Patricia Miranda, à frente do escritório Raízes Arquitetos. “É também um espaço onde o estilo pessoal do morador pode ser revelado, exalando um ambiente acolhedor que reflete uma personalidade”, completa.

Projeto de Raízes Arquitetos. Na foto, hall de entrada com espelhos redondos.
No espaço que antecede a entrada do apartamento, a arquiteta Patricia Miranda trabalhou com a disposição de espelhos que, além da beleza, adiciona amplitude e luminosidade.Cacá Bratke/Casa.com.br

Para quem mora nos apartamentos, existe a necessidade de considerar os regulamentos específicos do condomínio e, no caso de um hall compartilhado, haver um acordo entre os vizinhos de porta.

Hall de entrada revestido de painéis de madeira com ganchos e planta
Projeto de Estúdio Itinerante de Arquitetura.Léo Giantomasi/Casa.com.br

“Nunca recomendo iniciar a execução de qualquer mudança antes de avaliar o estatuto, pois algumas alterações podem destoar do estilo geral do prédio ou não serem permitidas”, orienta a arquiteta. Além disso, a formatação não deve apresentar um contraste muito forte, que ressalte inadequações ou que cause desconforto.

Faça uma análise do espaço

Projeto de Raízes Arquitetos. Na foto, hall de entrada com ganchos e cabideiros.
Neste outro hall de entrada projetado pela arquiteta Patricia Miranda, a praticidade de ganchos que acomodam bolsas e casacos, um banco baú para calçar e guardar os sapatos e uma ornamentação sutil com quadros e peças decorativas.Cacá Bratke/Casa.com.br

Ainda de acordo com Patricia, o primeiro passo é analisar as potencialidades da área e tirar as medidas com precisão. Só a partir daí que móveis e acessórios podem ser definidos, evitando que a área transmita a sensação e apertado ou vazio.

Continua após a publicidade

Projeto de Raízes Arquitetos. Na foto, hall de entrada com revestimento 3d e aparador.
No hall de entrada deste apartamento, a arquiteta Patricia Miranda escolheu o revestimento 3D que também marca presença em algumas paredes da área social.Edson Ferreira/Casa.com.br

Outro conselho para halls pequenos é investir em peças multifuncionais, como um banco com espaço de armazenamento interno e ganchos, que resolvem as demandas clássicas de uma chegada: tirar/colocar os sapatos e pendurar aquilo que está à mão, como bolsas, casacos e guarda-chuvas.

Projeto de Raízes Arquitetos. Na foto, hall de entrada com revestimento 3d e porta pivotante.
Projeto de Raízes Arquitetos.Edson Ferreira/Casa.com.br

“Cada espaço é único e uma abordagem inteligente é capaz de transformar um pequeno hall de entrada em um espaço convidativo e funcional”, pontua.

Continua após a publicidade

Não se esqueça da iluminação

Hall de entrada com espelho, aparador, vaso de flores e quadro.
Projeto de Cristiane Schiavoni.Rafael Renzo/Casa.com.br

Por se tratar de um ambiente sem janela, a iluminação é fundamental e responsável por conceder a atmosfera planejada em projeto. Para tanto, lustres, luminárias e pendentes entram de acordo com o estilo e as demandas.

A escolha dos materiais

Hall de entrada com ganchos e planta ficus.
Projeto de Studio Moby Dick.Gisele Rampazzo/Casa.com.br

Para garantir maior durabilidade e ter facilidade de manutenção e limpeza, a arquiteta indica, a pintura acrílica, a aplicação de papel de parede e, para o piso, o uso de porcelanato ou piso de pedra.

Continua após a publicidade

Publicidade

©