Anualmente, a Worth Global Style Network (WGSN), empresa líder na previsão de tendências, apresenta previsões de consumo e produtos para marcas globais. Neste ano, a instituição acaba de revelar que uma das estéticas mais notáveis em decoração e design de interiores é o Quiet Luxury, tendência inspirada no estilo Old Money.

Embora tanto o Old Money quanto o Quiet Luxury estejam relacionados ao conforto, alto padrão e luxo, os movimentos representam abordagens distintas em termos de estilo de vida, valores e expressão.

Old Money na decoração

Projeto de Ricardo Melo e Rodrigo Passos. Na foto, sala de jantar integrada com mesa vintage e quadro.
Projeto de Ricardo Melo e Rodrigo Passos.Raiana Medina/Casa.com.br

A estética Old Money tende a ser mais clássica, com ênfase em itens de qualidade duradoura, frequentemente transmitidos de geração para geração, refletindo um gosto sólido e tradicional. O movimento transcende os limites do guarda-roupa, estabelecendo uma identidade única também na decoração.

Continua após a publicidade

Assim como o dressing sóbrio e elegante, que alcançou imensa visibilidade nas redes sociais, móveis assinados, acessórios de designers e obras de arte tornam-se objetos de desejo que compõem um estilo exclusivo e atemporal para o bem morar.

Casa área social moderna toques clássicos decoração Barbara Kahhale alphaville sala jantar mesa cadeira quadro lustre cristal
Projeto de Barbara Kahhale.Raul Fonseca/Casa.com.br

As referências Old Money remetem à sofisticação e à elegância clássica, inspiradas em períodos marcantes da história, como o período vitoriano e a Belle Époque. Na decoração de interiores, os elementos-chave incluem móveis antigos de alta qualidade, quadros e peças que são verdadeiras obras de arte.

Continua após a publicidade

Projeto de Ricardo Melo e Rodrigo Passos. Na foto, sala de estar com sofá branco, tapete e estante de nichos iluminados.
Projeto de Ricardo Melo e Rodrigo Passos.Raiana Medina/Casa.com.br

“Um projeto que valoriza elementos Old Money revela uma desconexão dos modismos e tendências efêmeras, ao mesmo tempo em que se preocupa com o conforto e a identidade daqueles que escolheram um imóvel com o propósito de viver bem e com tranquilidade”, observa a arquiteta do Grupo A.Yoshii em Campinas (SP), Lorena dos Santos.

Quiet luxury na decoração

Descubra as características do Old Money e Quiet luxury na decoração. Na foto, sala de estar com sofá branco curvo, mesa de centro.
<span class=”hidden”>–</span>Divulgação Grupo A.Yoshii/Casa.com.br

O Quiet Luxury, por sua vez, é uma abordagem sofisticada que se afasta do excesso e mira em uma estética mais sutil e delicada. Na decoração de interiores, isso se traduz em móveis de design reconhecido, objetos de alta qualidade, marcas de luxo do mercado e obras de arte que transmitem elegância.

Projeto de Larissa Lóh. Na foto, sala de jantar com mesa de madeira, cadeiras com estofamento branco, paredes revestidas de madeira e adega climatizada.
Projeto de Larissa Lóh.Eduardo Macarios/Casa.com.br

A ideia central é criar espaços que se destacam pela sua simplicidade refinada e atemporalidade. Em outras palavras, é uma expressão que descreve uma abordagem mais sutil e sofisticada, no qual a ostentação e as logomanias são esquecidas em prol de peças de alta qualidade e design impecável. Priorizando a simplicidade, a elegância discreta e a atemporalidade, a nova tendência transforma as casas em refúgios de serenidade e bom gosto.

Descubra as características do Old Money e Quiet luxury na decoração. Na foto, sala de estar com piso de porcelanato, sofá branco.
<span class=”hidden”>–</span>Divulgação Grupo A.Yoshii/Casa.com.br

Algumas diretrizes seguidas pelo estilo Quiet Luxury ou, em tradução livre, “luxo silencioso” propõem uma paleta de cores suaves e neutras para proporcionar uma sensação de calmaria. “A combinação de cores no estilo monocromático é marcante dentro desta estética. Nos apartamentos decorados da A.Yoshii, como é o caso do empreendimento Icon, em Campinas (SP), paletas mais sóbrias em tons de marrom e nude ajudam a compor os ambientes com sofisticação”, explica.

Continua após a publicidade

Sala de jantar; mesa; cadeira; luste; pé-direito duplo; sala de jantar neutra
Projeto de Gustavo Marasca.Denilson Machado, MCA Estúdio/Casa.com.br

O mobiliário, segundo Lorena, tende a uma abordagem minimalista, mas não menos especial, com a presença de móveis de design reconhecido. Essas peças não são apenas funcionais, mas representam a excelência no design. Desde objetos de decoração até utensílios do dia a dia, cada item representa durabilidade e garante excelência na execução. Os materiais nobres, como couro, mármore e metais preciosos, são frequentemente incorporados, adicionando uma camada de luxo discreto a cada detalhe.

Descubra as características do Old Money e Quiet luxury na decoração. Na foto, sala de estar com móveis curvos, iluminação em sanca, mesa de centro.
<span class=”hidden”>–</span>Divulgação Grupo A.Yoshii/Casa.com.br

A iluminação suave, proporcionada por luminárias modernas e esculturais, confere toques de elegância. “Materiais duráveis e de alta qualidade, como madeira maciça, mármore, seda e linho, além de móveis vintage, também são valorizados nos projetos, como no caso do decorado do edifício residencial Evidence”, afirma. Marcas respeitadas tornam-se protagonistas na decoração de interiores, proporcionando uma sensação de prestígio e refinamento aos espaços.

 

Publicidade

©