Nesse projeto do Korman Arquitetos, os aparelhos de ar-condicionado ficam mimetizados ao décor, de forma discreta
Nesse projeto do Korman Arquitetos, os aparelhos de ar-condicionado ficam mimetizados ao décor, de forma discretaGui Morelli/Casa.com.br

O calor pode atrapalhar o aconchego e trazer uma sensação desagradável dentro da residência. Sendo assim, para que um ar-condicionado seja inserido dentro do projeto sem nenhuma dificuldade, o planejamento é essencial – sendo necessário determinar a existência do aparelho no início do projeto.

Mas como escolher o modelo correto, que atenda perfeitamente às demandas do espaço e ainda se alinhe com harmonia na decoração? Ieda e Carina Korman, à frente do escritório Korman Arquitetura, apontam que diferentes fatores interferem na escolha do modelo ideal.

Ar condicionado que se armoniza na decoração
<span class=”hidden”>–</span>Reprodução/Pinterest

Saiba, antes de tudo, que o número de moradores consegue influenciar no conforto térmico do ambiente. No geral, um equipamento de 12 mil BTU/h é capaz de climatizar um ambiente de 20 m², mas tudo depende de quantas pessoas estarão presentes constantemente. Fique atento, também, às instalações elétricas e ao espaço para a unidade. Quer saber mais? Confira as dicas a seguir:

Para o projeto desse loft, Ieda e Carina Korman optaram pelo modelo Split Inverter
Para o projeto desse loft, Ieda e Carina Korman optaram pelo modelo Split InverterJP Image/Casa.com.br

Compondo com a decoração

Existem vários tipos de aparelhos, cada um com suas características e tipo de instalação. Diante disso, é preciso de um planejamento prévio para determinar se será um ar-condicionado integrado ao décor ou oculto – uma vez que é importante pensar no duto, na hidráulica e no ponto de elétrica para colocá-lo corretamente em um ambiente.

Continua após a publicidade

Uma marcenaria bem pensada pode ser uma forma de disfarçar o ar-condicionado, segundo Korman Arquitetos
Uma marcenaria bem pensada pode ser uma forma de disfarçar o ar-condicionado, segundo Korman ArquitetosGui Morelli/Casa.com.br

Quando o assunto é decoração, a dica é integrar o aparelho de forma discreta e delicada, mas sempre respeitando a saída de ar. As arquitetas indicam fixá-lo em um canto do cômodo, de forma que as obras de arte e peças decorativas se sobressaiam. Outra opção é uma marcenaria planejada, com um nicho específico para o equipamento – tornando o visual mais sutil.

Se você deseja escondê-lo, nichos com portas treliçadas são perfeitos, mas considere um local que facilite a manutenção rotineira.

Principais modelos

Sala de estar; sofá azul; poltrona; pufe; mesa de centro; tapete; cortina branca; ar condicionado; espelho; espelho orgânico
Projeto de Ricardo Melo e Rodrigo Passos.Raiana Medina/Casa.com.br

Com uma ampla gama de modelos no mercado, existem quatro categorias. Começando pelos os modelos portáteis, que demandam uma janela, mas não uma instalação. Sua principal vantagem é a de poder ser locomovido de um cômodo para outro, mas não são muito eficientes e tendem a ser bem barulhentos.

Continua após a publicidade

Ar condicionado de janela

O mais tradicional é o de janela, em que o aparelho apresenta as unidades de evaporação e condensação – ideais para apartamentos ou casas sem espaço para a unidade externa. Porém, possuem capacidade baixa, produzem bastante ruído e exigem uma saída para o exterior.

Ar condicionado split

Já o modelo split é muito procurado, possui duas partes – a evaporadora e a condensadora, instalada na área externa. Ele é um modelo mais silencioso e de melhor capacidade, mas é mais caro.

Ar condicionado split inverter

Por último, o split inverter é o mais indicado atualmente por possui a tecnologia que o desliga quando o ambiente atinge a temperatura adequada. Com alta eficiência energética, esta é uma escolha sustentável.

Publicidade

©