Viver em um ambiente seco pode desencadear uma série de sintomas desagradáveis como pele ressecada, coceira nos olhos, sangramento nasal e uma sensação constante de sede. No caso de Brasília, por exemplo, agosto viu a umidade relativa do ar atingir um mínimo de 10% em 2023.

Isso é alarmante, já que a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda uma umidade ideal de cerca de 60%. Quando a umidade está acima ou abaixo desse nível, podem surgir riscos para a saúde.

Compreender o ambiente em que você vive é fundamental para tomar medidas que ajudem a prevenir doenças agravadas pela falta de umidade e pelo aumento da poeira. Alguns desses desconfortos podem ser amenizados com um bom preparo do ambiente de moradia e de trabalho. Durante a seca, o foco na limpeza e conservação do ambiente deve se intensificar, pois os desafios aumentam devido ao acúmulo de poeira e ao ressecamento das superfícies.

Stefanya Lamounier, gerente operacional e especialista da Brasfort, empresa especializada em limpeza, conservação e manutenção, dá cinco orientações específicas para enfrentar os efeitos da baixa umidade e do aumento da poeira.

Atente-se à circulação do ar

Memorabilia: história de vida do morador se confunde com décor nesta casa. Projeto de Jorge Elmor. Na foto cozinha com grandes janelas de vidro e ilha.
Projeto de Jorge Elmor.Bia Naiuack/Casa.com.br

Abra as janelas diariamente por alguns minutos para renovar o ar e eliminar possíveis odores.

Limpeza de tecidos

Projeto de Paula Scholte. Na foto, varanda integrada com futon, cortina branca, plantas. Cantinho de bar com aparador e frigobar verde.
Projeto de Paula Scholte.Sambacine/Casa.com.br
Continua após a publicidade

Limpe tapetes e cortinas: aspire regularmente os tapetes e siga as instruções de lavagem ao limpar as cortinas.

Cuidado com o sofá

“Poetas do Futuro por Deca”, ambiente de Nathália Xavier para a CASACOR SC 2023. Na foto, living com tapete azul, sofá branco e mesa de centro.
“Poetas do Futuro por Deca”, ambiente de Nathália Xavier para a CASACOR SC 2023.Mariana Boro/CASACOR

Higienize estofados: sofás, poltronas e colchões podem abrigar sujeira e ácaros. Considere uma limpeza profunda de estofados com ajuda especializada.

Manutenção de filtros

Sofá cinza encostado na parede
Projeto de Fernanda Olinto.Mariana Pierozzi/Casa.com.br
Continua após a publicidade

Verifique os filtros de ar-condicionado e ventiladores, pois acumulam poeira. Faça a limpeza ou substituição conforme as orientações do fabricante.

Opte por produtos adequados

Produtos de limpeza e luvas em balde transparente.
<span class=”hidden”>–</span>Bettanin/Reprodução

Escolha produtos de limpeza eficazes contra germes e alérgenos, mas seguros para uso doméstico. Siga as instruções de uso e evite misturar produtos para não gerar gases tóxicos. Além disso, utilize produtos de limpeza suaves para que móveis e superfícies não ressequem.

“Em geral, recomenda-se realizar uma limpeza profunda a cada três a seis meses para manter um ambiente consistentemente limpo e higiênico. No entanto, para ambientes mais movimentados ou propensos à acumulação de sujeira, pode ser necessário agendar serviços mais frequentes”, diz Stefanya. Altamente recomendada como um complemento à limpeza padrão, a sanitização efetua um processo minucioso de higienização e erradicação de ameaças invisíveis, incluindo bactérias, ácaros, fungos e vírus, os quais podem desencadear infecções, alergias e patógenos prejudiciais à nossa saúde. O processo proporciona uma camada adicional de proteção, garantindo um ambiente mais saudável e seguro.

Continua após a publicidade

Publicidade

©