Projeção em empena de prédio na região da Avenida Paulista |Virada Sustentável 2021Alexandre Urch/Divulgação

Entre os dias 3 e 23 de novembro, a capital paulista receberá a 12ª Virada Sustentável. Pela primeira vez, o maior festival de sustentabilidade do país acontecerá simultaneamente em São Paulo, Manaus e Porto Alegre com uma programação totalmente gratuita voltada para temas como consumo consciente, mudanças climáticas, meio ambiente, economia circular e responsabilidade socioambiental, entre outros.

Este ano, a Virada Sustentável vai ocupar a cidade de São Paulo com a campanha ContAí, que reúne informações colhidas de mais de 50 organizações da sociedade civil e estampar esses dados em projeções em três empenas de prédios na região da Avenida Paulista e em outros locais de grande visibilidade, com artes produzidas em parceria com o Senac, por meio de um desafio de design proposto aos alunos da instituição.

Grafite das artistas Avaf e Linoca Souza, sobre o ODS Igualdade de Gênero, da ONU, na empena do CEU Campo Limpo durante a Virada Sustentável de 2021Alexandre Urch/Divulgação

A ação é um desdobramento da campanha #MinhaMensagem realizada no ano passado, quando foram espalhadas mensagens de conscientização e reflexões sobre a temática da sustentabilidade em pontos icônicos da cidade. Entre as organizações participantes desta edição, estão nomes como Unicef, PNUD, C40, Instituto Ethos, Akatu, WWF-Brasil, SOS Mata Atlântica, Greenpeace e Gerando Falcões.

Mais de 50 Centros Educacionais Unificados (CEUs) da Prefeitura de São Paulo, distribuídos por todas as regiões da cidade, participam do evento, com uma programação de oficinas e atividades propostas pela Secretaria de Educação do município pensada exclusivamente para o festival. Além destas iniciativas, grafiteiros e coletivos de arte realizarão intervenções artísticas nas empenas de seis unidades sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, com os temas: paz, justiça e instituições fortes, vida na água, educação de qualidade, fome zero e igualdade de gênero.

Artista, grafiteiro e educador, Mauro NeriReprodução/Divulgação

Ainda sobre as intervenções artísticas que vão acontecer de forma descentralizada na cidade, o destaque vai para os artistas Laura Guimarães, Mauro Neri e Robson Bó, nomes reconhecidos pela atuação na cultura urbana brasileira e arte de rua. Durante a Virada, trabalharão em murais também sobre os ODS da ONU.

A programação compreende atividades ao ar livre em 31 parques da capital, trazendo opções de lazer para os mais variados públicos. Destaque para o Parque Augusta, no centro de São Paulo, recentemente inaugurado depois de anos de luta e mobilização social, que recebe no dia 06 de novembro a apresentação circense A Bolha, desenvolvida pelo grupo holandês Corpus Acrobatics. A atração simula um ambiente fechado sem a interação externa com o mundo, onde uma contorcionista reproduz situações cotidianas dentro de uma bolha.

<span class=”hidden”>–</span>Jourrit Lousbergh/Divulgação

A performance tem grande apelo visual e provoca uma reflexão importante sobre a bolha em que cada indivíduo se encontra atualmente, suas visões de mundo e o impacto da pandemia nas relações humanas. Projeções do duo VJ Suave e Picnic Lounge com apresentações de DJ Guzman integram a programação do festival no Parque Augusta. Todos os espetáculos e as ações do evento serão abertos ao público.

E no Parque do Ibirapuera, na marquise do Museu Afro Brasil, haverá a oficina Cores Ancestrais: oficina sobre tintas naturais , no dia 5 de novembro. Os visitantes serão convidados a explorar técnicas de obtenção e uso das tintas de origem orgânica e mineral, abordando também questões históricas, culturais, geopolíticas e sociais por trás das tintas. Será uma oportunidade de criar um olhar mais sensível e sustentável para o território e as variedades de cores e texturas que ele oferece.

Também no dia 5, o Minhocão, bastante utilizado pelos paulistas para a prática de corridas, passeios e entretenimento, será palco de uma intervenção artística lúdica da artista Chai Rodrigues com a finalidade de incentivar ainda mais as atividades físicas e a brincadeira como parte das ações de pertencimento e uso coletivo da cidade. Para marcar a passagem do tempo e a experiência no espaço público, serão desenhadas 146 ampulhetas ao longo de todo o comprimento do Minhocão, em ambas as vias de maneira invertida contando o tempo de quem vai e de quem volta.

Segundo o realizador da Virada Sustentável, André Palhano, “pensamos numa programação que realmente despertasse curiosidade e interesse pelas mensagens propostas. É preciso que todos nós reflitamos sobre o futuro comum do nosso país e do mundo, de forma coletiva, inspiradora e plural”.

Outro ponto alto do festival é a ação de live painting e exposição de 17 cubos tridimensionais no Parque Benemérito José Brás, na Zona Leste, sobre os ODS da ONU. Entre os dias 14 e 15 de novembro, 17 artistas atuantes da cena de arte paulista farão intervenções nos 17 cubos gigantes, cada um representando um dos objetivos determinados pela Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas, nas áreas de erradicação da pobreza, segurança alimentar, agricultura, saúde, educação, igualdade de gênero, redução das desigualdades, energia, água e saneamento, padrões sustentáveis de produção e de consumo, mudança do clima, cidades sustentáveis, proteção e uso sustentável dos oceanos e dos ecossistemas terrestres, crescimento econômico inclusivo, infraestrutura, industrialização, entre outros. Os cubos ficarão expostos até 21 de novembro.

Além do live painting e da exposição dos cubos, a ação ganha um apelo ainda maior quando induz o público a refletir sobre essas metas e objetivos globais, por meio da promoção de rodas de conversa com a especialista e ativista Fernanda Cabral, nos dias 18 e 19 de novembro.

Cubos 17 Ods da ONU durante evento realizado no Rio de Janeiro em julho de 2022Andre Palhano/Divulgação

A Virada estará na FIC- Feira de Intercâmbio e Criatividade, que será realizada na Praça Alexandre de Gusmão, próximo da Avenida Paulista, entre os dias 12 e 13 de novembro. O palco Virada Sustentável receberá atrações musicais como a Cia. Cabelo de Maria, o Sexteto Orquestra Mundana Refugi, formado por músicos brasileiros, imigrantes e refugiados de diversas partes do mundo, RituShow, Trio Borogodó e Banda Mundial Carimbó.

Ainda sobre a programação musical, o parque linear Bruno Covas, localizado entre as zonas sul e oeste da cidade, também faz parte da Virada 2022, com o show do projeto Jazz na Kombi, uma proposta itinerante de música e interação social com o território, no dia 19 de novembro.

Continua após a publicidade

O Metrô de São Paulo participa da Virada Sustentável 2022, disponibilizando pontos de coleta de resíduos eletroeletrônicos nas estações Jabaquara e Tucuruvi da linha 1 – azul, também Palmeiras – Barra Funda, Sé, República e Tatuapé pertencentes à linha 3 – vermelha, nas estações Vila Prudente, Paraíso e Clínicas da linha 2 – verde e na estação São Mateus da linha 15 – prata do monotrilho. A ação, que acontece até o dia 18 de novembro, é uma parceria com a Green Eletron e Coopermiti, organizações de gestão e de descarte de resíduos eletroeletrônicos.

Obra de Ivan Ciro Palomino sobre água potável, tema do ODS 6 da ONU – 40x40cmReprodução/Divulgação

A estação Trianon-Masp do Metrô abriga a exposição CONSCIÊNCIA, do ilustrador peruano Ivan Ciro Palomino, que explora pautas como educação, mudanças climáticas e liberdade de expressão. A mostra abre no mesmo dia do início da programação da Virada Sustentável, 3 de novembro, e ficará em cartaz até 11 de dezembro. Esta ação é fruto da parceria do Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil (UNIC Rio), do Metrô de São Paulo e da Virada Sustentável.

No dia 6, o Teatro Sérgio Cardoso terá uma programação importante de contação de histórias e apresentações musicais com artistas indígenas das comunidades dos povos originários do estado de São Paulo, como o Coral Indígena Guarani Mbya da Tekoá Yy Porã, da Terra Indígena Tenondé Porã, em Parelheiros, extremo sul da capital. Para as crianças também haverá a Feira de Troca de Brinquedos e Pronto Socorro dos Brinquedos, no Sesc Ipiranga.

No dia 20, feriado nacional do Dia da Consciência Negra, o Teatro Sérgio Cardoso será palco do show de Larissa Luz acompanhada de Anelis Assumpção, artistas de expressão no atual cenário da música popular brasileira e da música preta contemporânea. E ainda em celebração à cultura preta do país, o público poderá curtir, no mesmo dia e local, a apresentação da atriz e cantora Zezé Motta.

Para Mariana Amaral, também idealizadora da Virada, “o festival é uma oportunidade única de discutir temas essenciais para o futuro da humanidade, e de uma forma muito didática e lúdica, onde todos são integrados a essa programação e convidados a refletir sobre suas ações no dia a dia, e é nessa máxima que acreditamos, na disseminação do conhecimento que salva”.

A Virada possui ainda uma parte da programação voltada para o bem-estar e reflexões sobre a sustentabilidade do ser humano. O Espaço Eywa abre as portas nos dias 16 e 17 de novembro, para receber atividades como círculo do amor, cura e espiritualidade, e rodas de conversa sobre sustentabilidade praticada no dia a dia.

Ações com parceiros

A Virada Sustentável 2022, também conta com uma programação diversa elaborada por organizações parceiras, sempre prevendo a discussão sobre a sustentabilidade em suas áreas de atuação.

Unidades do Sesc São Paulo realizam oficinas, rodas de conversa e atividades interativas relacionadas a energias limpas e renováveis, alimentação saudável, qualidade de vida na terra e materiais reutilizáveis. Aqui, o destaque vai para a exposição Rios Descobertos – Dos Jerivás aos Pinheiros, uma mostra multimídia disponível no Sesc Santo Amaro até dezembro e que apresenta a fascinante história do rio Pinheiros e seu papel no processo de desenvolvimento da cidade e na formação da identidade do paulistano.

A Biblioteca São Paulo, no Parque da Juventude, propõe ao público da Virada a Feira do Livro da Câmara Periférica do Livro, realizada em parceria com o Estéticas da Periferia e SP Leituras, disponibilizando no local o acesso a mais de 15 selos de editoras da periferia. A atividade terá ainda um bate-papo com o escritor e poeta Sacolinha.

A instituição pública UMAPAZ participa da Virada deste ano com um bate-papo sobre o projeto Regenera: os desafios da regeneração e a Carta da Terra, uma reflexão sobre o resgate do respeito à vida de todos os seres.

Uma maratona de inovação dentro da Virada Sustentável é a proposta da Secretaria Executiva de Mudanças Climáticas, Seclima da Prefeitura de São Paulo, em parceria com a InoVaction & Hub e Tech Produções. A CLIMATHON SÃO PAULO será um evento totalmente online que visa promover e incentivar a criação de soluções para a descarbonização nos diversos ecossistemas na cidade. Os participantes podem participar da competição por inscrição via Sympla e o grupo vencedor será o representante do Climathon São Paulo no Global Climathon Awards.

Com caráter formativo, o Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU) convida todos os alunos e docentes a dialogarem sobre educação ambiental e responsabilidade socioambiental durante os dias de Festival, com atividades presenciais, como a Mostra de Sustentabilidade e Educação Ambiental e a palestra A natureza de todos nós: Sustentabilidade Ambiental e Emocional, e ainda uma roda de conversa online sobre o desmatamento na Amazônia.

O Senac São Paulo, por meio da unidade Jabaquara, participa do festival integrando seu primeiro Fórum de Sustentabilidade à Virada deste ano. Entre os dias 22 e 23 de novembro, profissionais, empresas, empreendedores, ongs, startups, estudantes e a comunidade escolar poderá participar do evento virtual com o tema inovação e sustentabilidade, inspirado nos ODS da ONU e em práticas de governança ambiental, social e corporativa. O evento é aberto ao público e será transmitido no canal de Youtube do Senac.

Virada Sustentável fora de São Paulo

Pela primeira vez, o evento será realizado de forma simultânea também em Manaus e em Porto Alegre, que já promovem edições próprias há mais de oito anos, levando educação e reflexões apresentadas pelo tema da sustentabilidade aos extremos do país.

Os manauaras poderão participar da Virada Sustentável 2022 entre os dias 5 e 6 de novembro, e na capital gaúcha, o evento acontece entre os dias 11 e 27 de novembro.

Continua após a publicidade

©