Maura Mello/Dantas e Passos Arquitetura/Casa.com.br

Trazer o verde para dentro de casa tem se tornado cada vez mais essencial. Além de promover uma conexão com a natureza, as plantas trazem bem estar e agregam beleza a qualquer ambiente.

Essas qualidades fazem qualquer morador desejar um cantinho verde em casa. E, mesmo em apartamentos de pequenas metragens, isso é possível – uma saída criativa é o jardim vertical. “Além de belos, os jardins verticais ajudam no isolamento térmico e acústico e melhoram a qualidade do ar”, dizem Ieda e Carina Korman, do escritório Korman Arquitetos.

Reprodução/Pinterest

Elemento ornamental, o jardim vertical pede por alguns cuidados ao ser implantado. Confira abaixo algumas dicas que a dupla de arquitetas indicam para cuidar bem do seu jardim: 

Estruturas do jardim vertical

Projeto de Korman ArquitetosJP Image/Casa.com.br

Hoje, existem diversas formas de compor uma parede verde – seja uma prateleira com vasos, seja com treliças para fixar as plantas ou vasos, ou até com quadros. Os materiais também são diversos, como aço, ferro, concreto, cerâmica e madeira. 

Um tom de verde cobriu os 32 m² da Cozinha Greenery, de Diego Viali e Mirian Rodrigues na Casa Cor Santa Catarina, sem cair no óbvio. Ela remete à sustentabilidade, representada no jardim vertical, e rende um toque de frescor à marcenaria, com armários que incluem sistema de amortecimento. Bancadas em Corian reafirmam a praticidade.Reprodução/CASACOR

“Ao incorporar um jardim vertical no projeto, o importante é considerar a carga que a parede escolhida suporta”, diz Carina. Isso porque a estrutura pode ser leve, mas soma-se a ela todo o peso das espécies escolhidas, terra e água. “Também é recomendado deixar o jardim vertical levemente afastado da parede, para evitar umidade e infiltração”. 

Considerar a existência de um ponto hidráulico também é importante, mas atualmente existem estruturas com mecanismos de bombeamento e irrigação que podem ser aplicadas em qualquer ambiente.

De olho na irrigação

Indispensável em qualquer jardim, a irrigação pode ser feita através de um sistema automático ou manual. “Para paredes verdes maiores, o sistema automático é o mais indicado. Ele garante praticidade no cotidiano”, opina Carina. Nesse caso, o sistema conta com uma bomba pressurizadora, tornando todo o processo automatizado. Para garantir a vitalidade das espécies, Ieda e Carina Korman indicam deixar sempre a terra ou substrato úmido, mas não em excesso.

Posicionamento 

Projeto de Korman Arquitetos optou pelo jardim vertical no home officeJP Image/Casa.com.br

Considerar a localização do jardim vertical também é essencial para garantir que ele se mantenha belo e vistoso, sem necessidade de muita manutenção. 

Reprodução/Pinterest

“O ideal é escolher uma parede que receba iluminação natural, mas que não tenha uma exposição exagerada à luz solar”, diz Ieda. No geral, é a luminosidade do ambiente que vai determinar, também, as melhores espécies para compor o jardim vertical. 

“Para ambientes internos e com menor incidência solar, opte por plantas de sombra. Ambientes externos funcionam melhor com plantas mais resistentes. Nos dois casos, o ideal é escolher espécies duradouras, que demandem menos manutenção”, indicam as profissionais do Korman Arquitetos.

 

©











Loading...