E vamos continuar com nossa série Plantas com flores coloridas! Começamos com as amarelas e agora vamos ver belas plantas com flores vermelhas para esquentar o seu jardim, quintal ou varanda. Vamos ver quais são as plantas que dão flores vermelhas?

Plantas com flores coloridas – Vermelhas

Tipos de plantas

FORRAÇÕES E BORDADURAS

a) Rabo de gato – Acalypha Reptans

Que gato é esse que tem rabo vermelho a gente não sabe, mas este é o nome popular dessa forração, singela, fácil de cuidar, de meia sombra ou Sol Pleno, que atinge uns 20 cm de altura.

planta rabo de gato - Plantas com flores coloridas – Vermelhas
Foto; mundo ecologia

As folhas são muitas e a forração fica bem fechada. As flores existem todo o tempo, principalmente no verão.

Ela é tão rústica que cresce praticamente sem qualquer cuidado, mas com solo fértil com matéria orgânica, bem drenado, alguma umidade e longe de geadas e muito frio fica mais bonita.

planta rabo de gato - Acalypha-reptans
Foto: minhas plantas

Se o solo for muito argiloso, misture areia para melhorar a drenagem.

Ela também pode ser usada como planta pendente em vasos e jardineiras como forração.

b) Estrela do Egito – Pentas lanceolata

Ela tem de 30 a 60 cm de altura e funciona bem como forração, com suas flores abundantes em formato de estrela, criando pequenos “guarda-chuvas” que aparecem o ano todo, atraindo beija-flores e borboletas.

planta penta
Fonte: FloraAvancine

A Penta também pode ser plantada em vasos e jardineiras e tem um belo efeito em gramados e beirando caminhos.

Gosta de pleno Sol ou meia sombra (onde floresce um pouco menos). Prefere clima subtropical com baixa umidade, mas suporta o frio.

planta penta
jardimcor

O solo bem drenado e rico em matéria orgânica deve ter regas regulares para que se mantenha sempre um pouco úmido.

Retire as folhas secas depois da florada e, caso estejam altas, é possível podá-las no final do inverno sem problemas.

c) Sunpatiens

A Sunpatiens é muito parecida com a “maria sem vergonha” mas, na verdade, é uma híbrida, modificada para viver melhor nos nossos jardins, formando lindas forrações e bordaduras.

planta sunpatiens
Fonte: Sunpatien.com

Por isso, ela tem fácil manutenção, vive bem no Sol Pleno e na meia sombra (mas dá um pouco menos de flores), é resistente, duradoura, cresce rápido, tolera geadas e ventos e floresce todo o tempo. Há muitas variedades de cores e até bicolores.

As variedades podem atingir de 50 cm até 1,2 m de altura. Quando comprá-la observe: as flores devem ser bem brilhantes. Ela também pode ser plantada em vasos, floreiras e como pendente.

planta sunpatiens
Fonte: Flora avancine

O solo deve ser sempre úmido, evitando que as plantas fiquem murchas, e bem drenado.

Ela não precisa de podas, suporta o calor e o Sol. Tendo muito Sol e água você terá uma bela forração por muito tempo.

PLANTAS EM VASOS

a) Begonia semperflorens vermelhas

A semperflorens é uma planta pequena (15/30 cm), fácil de cuidar e que pode ser mantida em vasos grandes, floreiras, como bordaduras em canteiros, florescendo o ano inteiro;

Existem mais de 1000 espécies de begônias e elas são bem diferentes: Você já deve ter visto muitas que chamam a atenção pelas belas folhas.

begônia
Foto: Folhas e folhagens – Cristina Braga

A semperflorens gosta de Sol, mas em locais muito quentes a deixe pegar somente o Sol da manhã.

O solo deve ser bem drenado, rico em matéria orgânica e mantido úmido no crescimento e úmido mas quase seco quando adulta. Molhe somente a terra nas regas e retire folhas e flores mortas sempre.

Não tolera geadas ou muito frio.

Apesar de ser uma planta perene, você sentirá a necessidade de replantá-la em algum momento, pois com o tempo perde o viço.

b) Antúrio – Anthurium andraeanum

Planta muito resistente, natural da Colômbia, que se adapta bem a quase todas as regiões do Brasil. Existem mais de 600 espécies, com muitas cores e tamanhos, que podem chegar a 1 metro de altura ou mais.

Ela gosta de meia sombra (4 horas do Sol da manhã é o bastante, se não estiver muito calor). A luz indireta que venha de uma janela próxima é boa para ela, mas se não der flores, coloque em um local onde receba algum Sol por poucas horas.

antúrio vermelho
Foto: Sítio Santa Isabel

Tropical, ela não gosta de frio, não suporta geadas e deve ser protegidas do vento.

Na verdade, a parte vermelha, que aparece o ano inteiro quando a planta é bem tratada, é uma bráctea (já falamos dela aqui) e somente a “espiga” amarela é realmente um conjunto de pequenas flores.

O solo deve ser uma mistura de areia, terra e 2 de composto orgânico, mantido úmido, mas não encharcado. Em épocas muito quentes borrife água (que não seja fria) nas suas folhas.

Folhas secas mostram falta de água e folhas amareladas são sinal que a planta está recebendo pouco Sol.

antúrio
Foto: Folhas e Folhagens – Cristina Braga

Ela fica bem em vasos com bastante pedras ou cascalho no fundo para boa drenagem ou em canteiros. Forrar o solo para manter a umidade é uma boa medida, mas nunca encharque para não apodrecer as raízes.

Para fortalecê-la, adube todo mês e mude de vaso a cada 4 anos ou quando começarem a aparecer raízes no fundo do vaso, pois ela cresce bastante.

Não precisa de podas, só a retirada de folhas doentes ou velhas. É uma planta tóxica se ingerida, portanto mantenha longe de animais e crianças.

c) Flor de Maio – Schlumbergera truncata

Esta planta brasileira, uma suculenta da família dos cactos, que, na natureza, usa como suporte as árvores, pode ser mantida em vasos no alto, dentro de casa ou em varandas.

Ela gosta de meia sombra com muita luminosidade (não a exponha ao Sol direto) e deve ser protegida do vento e do frio excessivo. Pode chegar a 60 cm de comprimento e expõe suas flores em Maio, como o nome diz.

flor de maio
Foto: arkpad

Sendo uma suculenta, o cuidado maior que devemos ter é com o excesso de água: O solo deve ser bem rico em matéria orgânica (Misture uma porção de fibra vegetal a terra e substrato do solo) e muito bem drenado (use pedriscos e areia abaixo do meio para o fundo do vaso).

O vaso não precisa ser fundo. As raízes da Flor de Maio não são grandes.

Regue, no máximo, 3 vezes por semana somente durante fortes verões. O ideal é sempre esperar o solo ficar seco por um ou 2 dias para então, molhar novamente.

Um pouco antes e após a floração redobre os cuidados: Adubo (pó de osso, casca de ovos moída, etc) e regas um pouco menos espaçadas.

Evite tocar nas flores que são muito sensíveis. Se as flores começarem a murchar e cair é sinal que está quente demais para ela.

PENDENTES

a) Flor de coral – Russélia equisetiformes vermelha

A russélia chega a 2 metros de queda, por isso é muito usada em floreiras sobre muros altos, embelezando com suas flores com formato de corneta que contrastam belamente com seus ramos verdes e alongados.

Em vasos crescem bem menos. Eles devem ser médios ou grandes, pois ela toma conta do espaço rapidamente.

Planta Russélia
Foto: iloveflores

Funciona bem em taludes, sacadas e muros, mas sempre que tenham bastante Sol pleno e direto (é natural do México) em solo com matéria orgânica, rico em humos e bem drenado (nunca encharque o solo, mas mantenha-o um pouco úmido, pois ela não tolera falta de água por muito tempo.

Suporta frio (não geadas), vento e áreas perto do mar e gosta de muita água. É bastante resistente e rústica e atrai beija flores e borboletas.

As flores aparecem mais ainda na primavera e outono. Fica muito interessante e imponente quando plantada em grupos como acima.

b) Brinco de princesa – Fuchsia hybrida

Arbusto com belas flores pendentes em longos ramos, de muitas cores, inclusive com mais de uma cor na sua composição, a Brinco de princesa tem mais de 15 mil espécies diferentes, muitas criadas pelo homem.

planta brinco de princesa vermelha
Foto: casa.um

É a flor símbolo do Rio Grande do Sul. Gosta de áreas de meia sombra, com pouco vento e não tolera Sol forte demais ou terra seca, mas suporta frio moderado.

As flores, verdadeiros brincos, aparecem na primavera e verão e são chamarizes para beija flores.

O solo deve ser bem drenado, terra e composto orgânico mantidos úmidos, com regas leves toda manhã ou fim da tarde no verão. Diminua as regas no inverno.

Adube com humos de minhoca no começo da primavera após aparecerem as primeiras flores. Faça uma poda de limpeza de galhos e flores mortas no final do inverno.

c) Gerânio Pendente Pelargonium peltatum

Esta bela planta tem mais de 300 espécies, mas o Pelargonium peltatum é uma pendente rústica fácil de cuidar, que pode ser colocada em sacadas e vasos suspensos. Muitas possuem um perfume agradável.

Precisa de muita luz (Sol pleno ou meia sombra com muita luminosidade) e boa quantidade de adubo para florescer na primavera e verão, quando deve ser mantida com solo rico, bem drenado e ligeiramente úmido (sem encharcar), regada diariamente em áreas quentes e adubada com maior frequência no verão.

planta gerânio
Foto: mundoecologia

No inverno regue quando o solo estiver totalmente seco. O gerânio cresce rapidamente, principalmente se bem cuidado.

Prefere os climas temperados, por isso se dá melhor na região Sul do país. Nas regiões mais quentes não deve ser colocado em Sol pleno. Aceita as regiões perto do mar, mas será mais propensa a doenças e pragas. Não gosta de vento.

Deve ser podada no início da primavera, retirando galhos e folhas secos. Se as flores forem aveludadas, evite molhá-las.

TREPADEIRAS

a) Rosa Trepadeira vermelha

Planta desenvolvida para ser trepadeira, essa espécie tem os galhos mais flexíveis, que atingem até 6 m de comprimento e precisam de apoio e direcionamento.

Só não floresce no inverno e há variedades que não tem espinhos. Não é linda? Imagine em um pergolado, cerca viva ou arco no portão da casa!

Apresenta muitas flores com suave perfume, que chegam a formar cachos na primavera.

rosa trepadeira
Foto: Arkpad

Deve ser podada retirando galhos mal formados ou mortos e folhas secas sempre que necessário e, no inverno, uma poda de contenção vai fazê-la florir mais depois.

A cada 3 anos uma poda radical, de todos os ramos na base, a fará mais forte.

É muito resistente e fácil de cuidar, só precisa que não falte Sol pleno em clima temperado, com pouca variação entre as estações e água, mas nunca em abundância e molhando a terra e não as flores e folhas.

Ela não suporta ser encharcada, mas deve ser regada mantendo o solo levemente úmido e evitando o horário do Sol forte.

O solo deve ser fértil com boas doses de compostos orgânicos, argiloso, mas bem drenado e adubado 3 vezes por ano.

b) Clerodendro – Clerodendron splendens

Esta trepadeira natural da África, tem sua maior florada no Inverno. E que florada! De vermelho intenso e flores resistentes, muito apreciadas pelos beija flores e borboletas.

Existem mais de 400 espécies de clerodendro. É uma planta rústica muito fácil de cuidar, que gosta de clima quente e meia sombra com boa luminosidade (Sol pleno em regiões mais frias) e não tolera frio demais, ventos e geadas.

planta clerodendro
Foto: MundoEcologia

Ela fica linda em muros, caramanchões e treliças.Deve ser conduzida pelos galhos novos, pois eles ficam mais lenhosos conforme envelhecem. Os galhos chegam a 4 m de comprimento

O solo deve ser bem drenado e rico (terra, areia e 2 partes de composto orgânico). Regue quando notar a terra seca. Ela cresce lentamente, e não precisa de podas (só de limpeza) nem uma grande frequência de adubagem.

c) Marianinha – Streptosolen jamesonii

Arbusto que pode ser conduzido como trepadeira, em vaso ou pendente, a bela e colorida em tons de vermelho ao amarelo da Marianinha alegra qualquer jardim, sacada ou varanda.

Bastante resistente, tolera seca mas não frio demais, gosta de regiões serranas que não sofrem com geadas, dificilmente é atacada por pragas e tem flores em cachos quase o ano todo, além de ser uma fácil de cuidar. Precisa de Sol pleno e meia sombra na região dos trópicos.

planta marianinha
Foto: JardimCor

É interessante que, após a florada, seja podada para produzir mais flores na próxima. Tem muito néctar e atrai pássaros e borboletas.

Deve ser plantada em solo fértil, mantido úmido e bem drenado, rico em matéria orgânica, com farinha de ossos.

ARBUSTOS

a) Hibisco vermelho dobrado (Hibiscus rosa-sinensis “carnation”)

A flor nacional do Havaí é uma querida por aqui! É muito fácil encontrar plantar e manter o hibisco, bastante adequado aos climas do Brasil, com flores comuns ou dobradas (que são lindas!).

planta hibisco vermelho dobrado
Foto: jardimExotico

Há mais de 300 espécies com cores e tamanhos diversificados.

Ele convive bem com Sol e em meia sombra (mas dará menos flores), solo bem drenado, adubado e rico em matéria orgânica. Ele só não gosta de muita água e de muito frio.

Floresce quase todo o ano e suas flores são abundantes. Pode ser plantado em maciços, isolado, em cercas ou em vaso grande.

b) Helicônia

Parente distante da bananeira e do gengibre, a Helicônia chama atenção por suas brácteas vermelhas (folhas modificadas que protegem as verdadeiras flores e atraem, com seu néctar, beija-flores e abelhas).

A da foto é a rostrata, mas há mais de 250 espécies. Os cuidados são os mesmos, praticamente. E muito poucos, pois é muito rústica. Variam no tamanho da planta adulta e na direção do crescimento dos cachos (pendentes, laterais e eretas)

planta helicônia
Foto: JardimCor

Ela pode ser plantada formando grupos, mas deixe espaço para que se espalhem.

Não gosta de frio nem de muito vento, prefere a meia sombra com, algumas horas de Sol para florescerem, em solo rico (metade terra e areia, metade humos) e bem drenado, um pouco úmido, sem encharcar.

Chega até a 4 /6 metros de altura (mas algumas têm 40 cm somente) e é típica também do Brasil, região amazônica, logo, clima quente e úmido é o ideal para ela. Não precisa nem de podas nem de adubações frequentes. Só a limpeza de folhas doentes e secas.

São muito usadas em arranjos que duram bastante.

ÁRVORES E ARVORETAS

a) Escova de garrafa(Callistemon spp)

Originária da Austrália, essa arvoreta para Sol pleno, com folhas que tem um perfume de limão (a espécie Callistemon citrinus) e flores em ramos pendentes, tem mais de 30 espécies, desde anãs até as que chegam a 7 metros de altura.

O que chama atenção nela são as flores, que realmente parecem escovas de garrafa e surgem em maior número na primavera. Incrível! E é claro que atrai muitos beija flores.

Planta escova de garrafa
Foto: aprendacultivar

Ela pode ser plantada isolada ou formando cerca viva (neste caso, devem ser podadas para encher e controlar o crescimento). É ótima para arborizar ruas, pois suas raízes não são invasoras.

Não exige muito do solo, se adaptando a solos úmidos ou secos e pobres, mas acrescentar humos de minhoca antes do plantio a favorece. Enquanto estiver crescendo, mantenha as regas mais frequentes.

Suporta frio e geadas e também gosta do clima tropical. Além disso, não precisa e nem deve ser podada após adulta. Durante o crescimento ela pode ser podada para formatar sua copa. Para mantê-la saudável, adubações anuais.

b) Flamboyant (Delonix regia)

Sim, eu tive a felicidade de ter um flamboyant no quintal na minha infância! E que na primavera e verão era aquela festa laranja e vermelha de flores na árvore e conforme elas caiam, criavam um tapete colorido em tons quentes no chão.

Original de Madagascar e bem adaptada no Brasil, ela pode chegar a 12 m de altura e cresce rápido, tem sua primeira florada em 3 ou 4 anos, sua copa é muito larga e produz uma sombra leve.

planta flamboyant vermelho
Foto: Cipreste – Edilson Giacon

Não é adequada para calçadas, precisa de muito espaço para sua copa e raízes que vão longe e são superficiais, mas vive bem em áreas litorâneas.

Não gosta de frio, solo encharcado nem geadas. É de Sol Pleno, gosta de calor e água (mas não em excesso) e não exige muitos cuidados: Composto orgânico misturado na terra bem drenada e regas leves diárias quando em crescimento a tornam mais forte e resistente.

Ela produz uma vagem marrom cheia de sementes mas que não é comestível.

Não esqueça: Ela precisa de muito espaço, longe de calçadas, muros, encanamentos e fiação elétrica.

 

©