Se você está com dúvidas se deve ou se pretende fazer uma cerca viva para delimitar o seu terreno, chegou no lugar certo para entender os prós e contras, conhecer 10 plantas para fazer uma cerca viva e o básico para criar e mantê-la!

Cerca viva com tumbergea arbustiva - 10 plantas para fazer uma cerca viva
Foto: casa e decor

Vantagens e desvantagens das cercar vivas

Vantagens:

Mais beleza que um muro – É verde, natural, bonita, sendo bem cuidada.

Capacidade de abafar o som – Se você mora perto de rua barulhenta, a cerca viva vai diminuir o som que chega à sua casa. Para isso ela deve ser densa e alta.

Diminuição da incidência de ventos fortes – Ela pode ser uma barreira natural para o vento forte, ao mesmo tempo que deixa passar uma brisa que você não teria com um muro.

cerca-viva com hibiscos
Foto: arkpad

Filtragem da poluição – As espécies densas com altura acima de 2 metros, funcionam como um filtro de poluentes do ar.

Criação de privacidade – Cercas vivas fechadas e com folhas pequenas diminuem ou impedem a visão do interior.

Dificuldade de invasão – Uma cerca viva pode ser mais difícil de transpor que um muro, principalmente se a espécie usada possuir espinhos.

Desvantagens:

A maior desvantagem é a necessidade frequente de observação e manutenção. Algumas plantas são mais fáceis de manter e outras necessitam de mais trabalho.

Uma cerca viva mal cuidada pode ser acometida de pragas, perder suas folhas, criar vazios e até não sobreviver.

cerca viva em piscina pequena

Outra desvantagem é o tempo de crescimento da planta, que varia de espécie para espécie. Mas você pode comprar mudas já crescidas.

A escolha da planta que vai compor sua cerca viva depende das suas necessidades e prioridades, do clima, terreno, tipo de solo e de sua dedicação.

10 plantas para fazer uma cerca viva

A principal característica das plantas que funcionam como cerca viva é que aceitem podas de controle de volume e direcionamento. Vamos ver 10 das mais usadas:

Buxinho (Buxus sempervirens)

cerca viva com buxinho
Foto: Rotasdeviagem

Ótima para delimitar áreas, barrar ruídos e proteger dos intrusos.

Essa planta rústica pode crescer (lentamente) até 5 metros, é bem fechada, precisa de Sol, mas tolera o frio e não exige muita manutenção: As podas podem ser feitas semestralmente.

O solo deve ser fértil, bem drenado e rico em matéria orgânica. Regas regulares, mantendo o solo levemente úmido, adubação de 3 em 3 meses com NPK 10-10-10 e anualmente com adubo orgânico.

Pingo de Ouro ( Duranta repens aurea)

 cerca viva com Pingo de ouro
Foto: jardim biz

Planta rústica e nativa, boa para delimitar espaços e aumentar a privacidade, necessita de poucos cuidados e cresce rápido em todo país, podendo chegar a 6 metros.

O solo precisa ser fértil com matéria orgânica. Gosta de Sol e regas frequentes. Só não tolera seca.

A cerca viva fica bem densa, pois suas folhas são pequenas e em grande quantidade. Deve ser podada com frequência devido a seu crescimento rápido.

Murta (Murraya paniculata)

Essa lenhosa pode chegar a 7 metros, crescendo rápido. Também tem folhas pequenas e se adapta a temperaturas e tipos de solo variados, mas gosta de Sol pleno.

cerca-viva de murta-em area-com-piscina
Foto: casaefesta

Precisa de podas e regas frequentes, solo com adubo orgânico e areia grossa, para boa drenagem.

Bambu japonês (ou metake) (Pseudosasa japonica)

Muito usado para cercas vivas baixas (2 a 4 metros), densas e que protejam contra vento, barulho e pó. Se adapta bem a diversos climas.

Ele deve ter regas frequentes (3 em 3 dias no verão) e precisa de Sol Pleno.

cerca viva com bambu japonês
Foto: totalconstrucao

Bambu multiplex ( Bambusa multiplex )

Essa espécie chega a 4 metros em 3 anos (2 metros e meio em 1 ano), mas pode ser podada, o que permite que seu formato seja modificado.

Gosta de Sol e regas moderadas. Não encharcar.

cerca viva com bambu-multiplex
Foto: tudojardim

Laurotino (Viburnum tinus)

O Laurotino atinge no máximo, 3 metros. Suporta geadas, frio e estiagem. É bom para barrar a poeira e ruídos. Adaptado ao clima tropical, pode florescer no inverno (mas as podas restringem a floração)

cerca viva com laurotino
Foto: casaedecor

Não exige muitas podas, mas regas frequentes (todo dia no primeiro mês e depois 3 x por semana no verão). Pode estar em Sol Pleno ou meia sombra.

O solo deve ser bem drenado e rico em matéria orgânica, adubado a cada 6 meses.

Photinia Vermelha (Photinia x fraseri):

Uma planta interessante por mudar de cor com o tempo: Nasce com as folhas vermelhas, que ficam acobreadas e depois verdes.

Pode criar uma cerca viva razoavelmente fechada, chegando a 3 metros de altura.

Cerca-viva-de-Photinia Vermelha
Foto? decorando casas

Não precisa de podas nem regas frequentes e se dá bem tanto no Sol quanto na meia sombra.

Tumbérgia arbustiva

Uma cerca viva com flores o ano todo é o que você terá com a Tumbérgia arbustiva, que cresce até cerca de 2,5 metros, precisa de solo fértil e bem drenado, com Sol pleno ou meia sombra.

cerca viva com Tumbérgia arbustiva
Foto? capital mudas

As regas devem ser frequentes e as podas para manter o formato. Adube com matéria orgânica semestralmente.

Clúsia (Clusia fluminensis)

Uma arvoreta nativa do nosso país, que cresce rápido, até 6 metros se não for podada. Ela apresenta flores na primavera (que podem ser restringidas por podas constantes).

Fica mais bonita à meia sombra e é muito resistente a pragas e ao frio tropical. Gosta de regas frequentes mas nunca exageradas. Detesta seca.

 cerca viva com clusia
flores e folhagens – Cristina Braga

O solo deve ser fértil e bem drenado, rico em matéria orgânica. Adube semestralmente.

Não faça sua cerca viva de clúsias perto de canos de água. Suas raízes são agressivas.

Hibisco

De fácil manutenção, o hibisco pode ser usado para separar espaços e bloquear os ventos fortes. Ele chega a até 3,5 metros e, floresce o ano inteiro, mesmo sendo podado. Suas flores podem ter diversas cores e serem simples ou dobradas.

cerca viva com hibisco
Foto: jardinagem e paisagismo

Ele precisa de muito sol, não tolera climas secos nem geadas. Deve ser adubado com frequência e adora água, mas não encharcamento. O solo deve ser fértil e mantido levemente úmido.

Coroa de Cristo (Euphorbia milli)

Tem a característica de produzir espinhos – o que é ótimo se o seu interesse é evitar invasões – podendo chegar a 2 metros de altura.

Também produz flores o ano todo e tem uma seiva leitosa e tóxica (cuidado com animais e crianças!).

planta coroa de cristo
Foto: casa e festa

Ela resiste bem ao clima frio, geadas e ventos. Suas flores aparecem no verão e primavera.

O solo deve ser arenoso, rico em matéria orgânica e bem drenado. Adora Sol e pode ficar muito tempo sem regas. Não suporta alagamentos.

Veja uma lista de plantas que podem ser usadas com cerca viva no site do Raul Cânovas

O Básico para criar uma cerca viva

Para iniciar a plantação, a melhor época é a primavera e o verão.

O local depende da necessidade da planta, mas, em geral, evite locais com muita sombra, pedras ou alagados. O ideal é que a área da cerca seja nivelada.

Prepare o solo (adubo e matéria orgânica) da maneira necessitada pela planta escolhida. Ideal é que este preparo seja feito dias antes da plantação para que o adubo se integre ao solo.

Marque a área da cerca viva, meça e marque os pontos de inserção das mudas, em linha simples ou dupla, dependendo da planta e largura da cerca viva.

Cada planta precisa de um espaço diferente para crescimento e esse espaço também depende do grau de densidade que você deseja que a cerca tenha. O ideal é conversar com o fornecedor de sua planta ou contratar mão de obra competente para a realização do serviço.

Após a marcação, faça as covas, cuja profundidade e tamanho também dependem da planta e do tamanho da muda. Em geral, as covas devem ter o dobro do tamanho do torrão da muda.

Plante as mudas (prefira dias mais amenos para isso) e regue.

Agora é esperar, observando sempre o crescimento e qualquer problema que acontecer.

Muitas das plantas precisarão ser cortadas antes de atingir o tamanho desejado para criarem galhos laterais. Isso também deve ser conversado com o fornecedor.

O Básico para manter uma cerca viva

Regas diárias nas primeiras semanas, de manhã ou fim da tarde. Depois de um tempo, que depende da planta, pode-se espaçar as regas e começar a adubação para estimular o crescimento.

Podas periódicas com podadores elétricos, a bateria ou manuais e/ou tesouras ou alicates de poda, dependendo da planta, altura e formato de poda desejada.

Inicialmente as podas são de formação, quando você precisa forçar o crescimento de ramos laterais, para aumentar a densidade da cerca: Corte os ramos muito grossos e apare os alongados.

Depois, as podas de manutenção visam manter a forma desejada. Atenção sempre para que a forma não prejudique a insolação da parte inferior da planta, que pode ficar desfolhada e com ramos mortos devido à falta de Sol.

Evite podar no mesmo lugar, para não criar calos nos ramos que dificultarão a passagem da seiva, prejudicando a planta.

E então? Vamos fazer uma cerca viva? 

©