businessinsider.com/Reprodução

Durante a pandemia, as pessoas passaram a retomar e/ou a buscar novos hobbies. Entre os passatempos mais buscados, há a jardinagem. Segundo a ferramenta Google Trends, as buscas pelo termo “kit de jardinagem” cresceram 180% entre 17 de março e 17 de junho de 2020.

Tenor/Reprodução

Mas cuidar de plantas pode não ser uma tarefa tão fácil para os mais iniciantes que, com a inexperiência e até mesmo com o excesso de cuidados, podem danificar as mudas. Pensando em ajudar aqueles que querem salvar aquela planta murchinha, Adelson dos Santos Fernandes, jardineiro cadastrado no GetNinjas, aplicativo de contratação de serviços, oferece algumas orientações.

1. Atenção às folhas

 

Reprodução/Pinterest

Só de bater o olho, já dá para ver se uma planta está saudável ou não por conta das suas folhas. De acordo com Adelson, uma planta sadia é aquela que tem folhas verdes e brilhantes. Entretanto, quando as folhas apresentam aspectos desbotados, murchos, amarelados e quebradiços, é necessário acender um sinal de alerta.

Segundo o profissional, inúmeros fatores podem desencadear esses sinais. “Pode ser a falta ou até mesmo o excesso de água, local inadequado, pouca ou muita luz. Tudo depende, primeiramente, do tipo de planta que estamos lidando”, comenta o jardineiro. Sendo assim, o recomendável é estudar o espécime em questão e testar pequenas mudanças na rotina.

2. Falta de nutrientes

 

Reprodução/Casa.com.br

Caso mudanças como a quantidade de água, alteração de local/espaço não funcionem, é interessante investigar se a planta não está sofrendo com a escassez de nutrientes.

Veja também

“As plantas com deficiência de nutrientes (cálcio, ferro, fósforo, potássio e magnésio) apresentam um crescimento lento e folhas amareladas. Além disso, a falta de tais substâncias também inibe a floração e abortamento de frutos”, explica Adelson.

Para solucionar algumas dessas carências, pode ser interessante invista na adubação, seja com fertilizantes orgânicos ou adubos minerais.

3. Pragas

 

Reprodução/Casa.com.br

De acordo com Adelson, as pragas mais comuns são as formigas cortadeiras (também conhecidas como saúvas), lesmas/caramujos, lagartas, pulgões e cochonilhas. A identificação das pragas pode ser feita durante a análise das folhas, já que tais pestes costumam deixar um rastro de destruição das plantinhas.

O profissional explica que as folhas cortadas são indícios de formigas, caramujos e lagartas. Já quando as folhas apresentam manchas, o vilão da vez é o pulgão. Por fim, a característica que revela a presença de cochonilhas é o aspecto esbranquiçado das folhas. Para lidar com tais pragas, é interessante investir no uso de inseticidas industrializados ou caseiros.

©











Loading...