A Beleza/Designboom

Ao fazer “A Beleza”, o diretor Pascal Schelbli quis transmitir a importante mensagem de conscientização ambiental e ativismo, sem exercitar os visuais que tradicionalmente ilustram a causa. Em vez de mostrar a vida marinha com estômagos cheios de sacos plásticos, Schelbli pensou “E se o plástico pudesse ser integrado à vida marinha?” O filme poético navega no oceano para encontrar o mar e seus habitantes anormalmente consumidos pela poluição e elementos terrestres nocivos.

Reprodução/Designboom

Nesta paisagem subaquática distópica, os animais se tornam a própria poluição e o plástico que os ameaça. Cardumes de chinelos descartados tomam o lugar de peixes, garfos e canudos de plástico tornam-se elementos incorporados à vida vegetal, um baiacu se expande em seu corpo plástico-bolha e uma enguia desliza pelo mar com uma pele feita de pneus de borracha.

Reprodução/Designboom

Enquanto isso, um grupo de baleias emerge do abismo na forma de um grupo de enormes garrafas de plástico – seus corpos translúcidos abrindo caminho através de um enxame de alforrecas de plástico.

Reprodução/Designboom

O documentário pode ser assistido online. “A beleza é uma viagem poética pelos oceanos, que são simultaneamente impressionantes e imundos”, diz Schelbli. “No final, nós acordamos e percebemos que precisamos mudar alguma coisa.”

Veja abaixo imagens do filme e do processo de realização do curta-metragem nas filmagens dos bastidores:

peixes-viram-lixo-filme-casa.com-5(ReproduçãoDesignboom)
peixes-viram-lixo-filme-casa.com-8(ReproduçãoDesignboom)
peixes-viram-lixo-filme-casa.com-10(ReproduçãoDesignboom)
peixes-viram-lixo-filme-casa.com-7(ReproduçãoDesignboom)
peixes-viram-lixo-filme-casa.com-6(ReproduçãoDesignboom)
peixes-viram-lixo-filme-casa.com-9(ReproduçãoDesignboom)

*Via designboom

©











Loading...