Reprodução/Pinterest

Na decoração, as cores dos cômodos são tão importantes quanto os outros elementos que formam o ambiente – móveis, organização do espaço, detalhes e peças marcantes.

Beautiful Homes/Reprodução

A pigmentação eleita possui o poder de transmitir sensações e ativar diversos sentidos. A monocromia, escolha de apenas uma cor, causa um impacto visual ainda maior e é uma tendência que segue em alta na arquitetura de interiores.

Evelyn Müller/Divulgação

A singularidade, em combinação de tom sobre tom, é capaz de evocar descontração, leveza e quebrar a monotonia, saindo da mesmice. Emoldure áreas sociais, banheiros, cozinhas e dormitórios com o conceito baseado no seu gosto pessoal e personalidade – sem restrições.

Evelyn Müller/Divulgação

“Além da questão estética, o décor monocromático pode contribuir para a amplitude. Em um banheiro pequeno, por exemplo, pintar a bancada, paredes e piso de preto trará uma uniformidade de informação e, consequentemente, conquista uma maior profundidade”, explica a arquiteta Marina Carvalho, à frente do escritório que leva o seu nome.

Saiba como colocar em prática:

Escolha uma cor

 

A etapa mais importante, que determina o tipo de sentimento que será despertado, é a escolha da tinta predominante – pode ser mais suave, brilhante, intensa ou romântica. A decisão tem o poder de determinar a mensagem que será transmitida.

Porém, o caminho mais seguro é dar preferência a tons leves, pois não deixa o cômodo com uma aparência cansativa.

O azul conduz sentimento de tranquilidade, segurança e espiritualidade. Em contraponto, o vermelho provoca a força da energia e poder- segundo a psicologia das cores. Já as tonalidades mais neutras – como o cinza, bege e os terrosos – proporcionam conforto, bem-estar e acolhimento para os moradores. O branco, por sua vez, além da calma, apresenta simplicidade.

Para a criação de um ambiente monocromático, deve ser levado em consideração a sua funcionalidade, além da preferência estética.

Evelyn Müller/Divulgação

Comece aos poucos

A parede é o ponto de partida para produzir o projeto e ela pode ser pintada ou revestida. Se você está com receio de investir em um espaço com apenas uma cor, comece por aposentos menores. Itens decorativos de pequeno porte, que se alinham com a superfície colorida, também estão valendo.

Reprodução/Pinterest

Decidiu o tom? As próximas etapas pedem a separação de elementos complementares – como almofadas e outros objetos -, mas sempre com o intuito de construir um ambiente clean.

Veja também

Em áreas mais amplas da casa, o mobiliário é um grande aliado. A marcenaria planejada ou itens soltos – como sofás e poltronas – conseguem te ajudar na elaboração do local. Se os móveis não estiverem em harmonia com os outros componentes, o visual pode ficar desequilibrado.

Como não deixar o ambiente cansativo?

 

Para um espaço menos saturado e monótono, as tonalidades suaves são peças chaves, elegantes e causam menos impactos fortes. A aplicação de detalhes em outras cores ou uma variação de tons, são alternativas que promovem um contraponto sem um cansaço visual.

Nesse caso, invista no branco, cinza e até mesmo no preto – muito eficazes por serem neutros.

Quais outros elementos contribuem para o efeito?

 

Artefatos, pinturas nas paredes, revestimentos, texturas com cerâmica e porcelanato são excelentes opções. Para o banheiro, opte por pastilhas de porcelana e de vidro e, na cozinha, tijolinhos aparentes produzem um clima rústico.

O teto e o piso também favorecem o contraste com a pigmentação selecionada, deixando o espaço visualmente agradável. Para finalizar, pense na cor da luz para reforçar a mensagem daquele cômodo. 

©











Loading...