Helsinque lança plataforma que busca promover a sustentabilidade

Casa.com.br

A capital da Finlândia, Helsinque, acaba de revelar a sua mais recente iniciativa em direção à sustentabilidade: a plataforma Think Sustainably. Pensada para empresários, turistas e residentes, o serviço incentiva todos a fazerem escolhas mais sustentáveis.

Com a aparência de um guia turístico comum, o app tem a consciência ambiental como principal fator e faz parte da Carbon Neutral Helsinki Initiative, do governo local, que visa tornar a cidade neutra em carbono até 2035. A mudança envolveria o corte da pegada de carbono de cada residente para um quarto do que é atualmente.

Casa.com.br

Para os proprietários de empresas, o serviço apresenta uma checklist de ações que podem tomar para torná-las mais ambientalmente sustentáveis. Estas variam de atos simples, como a preferência por luzes LED e oferecimento de opções veganas no menu até maiores esforços, como escrever e implementar um plano mensurável de redução de carbono.

Para residentes e visitantes, a iniciativa representa uma chance de apoiar as empresas que estão mitigando seu impacto ambiental. Quando os usuários abrem a plataforma, veem listas de cafés, restaurantes, bares, lojas, centros culturais e outros locais – estando os mais sustentáveis marcados com uma etiqueta verde.

Casa.com.br

O Think Sustainably também mostra se uma empresa está atingindo todos os critérios de sustentabilidade, bem como aqueles que estão deixando passar.

A marca não precisa atender a todos eles para ser certificada como sustentável – na categoria de restaurantes, bares e cafés, por exemplo, precisam atingir apenas 10 de 17 critérios.

Casa.com.br

O app busca também tornar o consumo consciente mais fácil para os residentes – dois terços dos quais identificaram a crise climática como uma grande preocupação em uma pesquisa do ano passado.

A diretora da Carbon Neutral Helsinki Initiative, Kaisa-Reeta Koskinen, acredita que o serviço foi significativo porque a mudança para a neutralidade do carbono exigiria tanto mudanças estruturais importantes quanto ações diárias individuais. “Escolhas individuais são importantes”, diz ela. “De acordo com estudos recentes, a fim de evitar mais aquecimento climático, todos os finlandeses devem reduzir sua pegada de carbono de 10,3 toneladas para 2,5 toneladas até 2030”.

“Se uma pessoa em cada um dos 2,6 milhões de domicílios existentes na Finlândia reduzir sua pegada de carbono em 20%, chegaríamos a 38% das metas estabelecidas para o país no acordo climático de Paris para redução de emissões”, completa Koskinen.

Casa.com.br

Lançado como um projeto piloto em junho, o Think Sustanaibly tem, até agora, 81 prestadores de serviços participantes. Ele funciona por meio da auto-análise de empresas, e não de auditorias independentes – uma abordagem que, segundo a cidade de Helsinque, até agora foi eficaz.

A natureza transparente do sistema significa que o público pode manter a responsabilidade das empresas através do feedback. Alguns dos serviços de alto desempenho incluem o museu de arte Amos Rex, o Design Museum e o Flow Festival, um dos primeiros festivais de carbono neutro do mundo.

Os critérios de sustentabilidade do app variam de categoria para categoria. Enquanto o uso de energia renovável se aplica a todos, os restaurantes são solicitados a tomar medidas como evitar talheres descartáveis ​​e servir frutos do mar de proveniência ética, enquanto instituições culturais precisam incentivar o uso do transporte público e lojas podem vender itens reciclados, oferecer reparos ou incorporar uma política de empréstimos.

Existem também alguns critérios de sustentabilidade social, que incluem o emprego de pessoas que não conseguiriam trabalhar de outra forma e a divulgação de informações de acessibilidade.

Nomeada a primeira Capital Europeia do Turismo Inteligente em 2018, Helsinque vem priorizando práticas sustentáveis nos últimos anos. A cidade é também a primeira da Europa (e a segunda do mundo, depois de Nova York) a se comprometer reportar à ONU sobre a implementação das metas de desenvolvimento sustentável.

©