Google Arts & Culture lança seção dedicada a arte e cultura afro-brasileira  (Foto: Divulgação)

 

O Dia da Consciência Negra é marcado pela celebração da história e das conquistas da população negra no Brasil. Para promover um mergulho sobre o tema, o Google Arts & Culture está lançando, em parceria com 15 instituições culturais, o projeto Consciências Negras, uma seção inédita na plataforma dedicada à arte e cultura afro-brasileira

 

Ao todo, a iniciativa reúne 31 exposições, 13 delas inéditas, como a coleção de 600 obras digitalizadas do Museu de Arte da Bahia, retratadas pela primeira vez em alta resolução. Há também uma área dedicada às expressões artísticas e culturais do Porto do Rio – principal porto do tráfico de escravizados das Américas, hoje lugar de intercâmbio e convivência pela arte e cultura.

Google Arts & Culture lança seção dedicada a arte e cultura afro-brasileira  (Foto: Divulgação)

 


“Celebramos o mês da Consciência Negra lançando uma nova seção dedicada à história e às lutas e conquistas da população negra do Brasil. Graças às 15 instituições culturais parceiras que aderiram ao projeto, qualquer pessoa, em qualquer lugar, pode aprender mais sobre as raízes da cultura afro-brasileira”, afirma Luisella Mazza, diretora de operações globais do Google Arts & Culture.

Google Arts & Culture lança seção dedicada a arte e cultura afro-brasileira  (Foto: Divulgação)

 

A história que a história não viu 
A nova área do Google Arts & Culture conta ainda com uma iniciativa inédita em parceria com o Museu Afro Brasil: convidamos quatro jovens artistas brasileiros para retratar histórias de protagonismo negro pouco conhecidas e que contribuíram para a formação do país. Com obras emblemáticas que revisitam e dão voz a narrativas marginalizadas, os trabalhos de Heloisa Hariadne, Pegge, Robinho Santana e Jess Vieira farão parte da página do Museu Afro Brasil no Google Arts and Culture. 

“Graças à criatividade de quatro artistas contemporâneos brasileiros, celebramos a importância dos artistas negros no mundo. Esperamos continuar colaborando com nossos parceiros para celebrar a cultura negra no Brasil, tornando-a mais acessível a um público global”, complementa Luisella.

©











Loading...