Exposição lúdica d’OSGEMEOS, com inflável de 17 metros, marca reabertura da Pinacoteca de SP (Foto: Levi Fanan / Divulgação)

 

Um boneco inflável de 17 metros, de cor amarela, batizado de Gigante, abre a exposição d’OSGEMEOS, na Pinacoteca de São Paulo. Esse personagem de traços inegavelmente saídos da cabeça da dupla, e típico de seu mundo surrealista é um dos 1000 itens e obras da mostra OSGEMEOS:Segredos, aberta na quinta-feira (15). A exposição segue com entrada gratuita até o dia 23 de outubro, e depois serão cobrados  25 reais pelo ingresso (12,50 reais, a meia) até fevereiro de 2020, quando se encerra. Devido às medidas de distânciamento, é necessário marcar o horário no site da Pinacoteca.

A exposição panorâmica é sobre Tritez, um universo lúdico criado por Otávio e Gustavo Pandolfo, de 46 anos, nascidos no Cambuci –  bairro onde até hoje mantém o ateliê. Podemos ver, portanto, os desenhos feitos ainda criança em cadernos com pauta (inevitavelmente você buscará no passado deles alguma semelhança com obras recentes). 

 

“A gente pensa melhor desenhando”, me disseram em fevereiro deste ano, em seu ateliê, logo no início de uma entrevista sobre a mesma exposição, adiada pela pandemia (eles tentavam  explicar o hábito de desenhar enquanto conversavam com jornalistas).

Exposição lúdica d’OSGEMEOS, com inflável de 17 metros, marca reabertura da Pinacoteca de SP (Foto: Levi Fanan / Divulgação)

 

Nesse galpão onde conversamos, pude ver uma pequena maquete da exposição e algumas obras penduradas por todos os espaços, muitas inéditas, feitas exclusivamente para a mostra. Lá, também fica a coleção de boomboxes e balaclavas, livros e revistas. 

 “Aqui antigamente era uma marcenaria, toda diferente, quando a gente entrou, mudou aos poucos. O bairro [do Cambuci] tem uma história muito forte da cultura do hip hop nos anos 80”. 

Essa influência no hip hop fica evidente na mostra de curadoria de Jochen Volz, diretor do museu. Podemos assim ver fotos das noites na frente da estação de metrô São Bento, no centro de SP, onde começaram a dançar break, tocar e grafitar, nos anos 1980. Uma tradição que perdura até hoje, anualmente, quando se reúnem com a mesma turma. “A gente dança, pinta paredes no bairro”, me disseram.

Exposição lúdica d’OSGEMEOS, com inflável de 17 metros, marca reabertura da Pinacoteca de SP (Foto: Levi Fanan / Divulgação)

 

Na mostra há também rascunhos, pedaços de madeira, tecidos, roupas antigas até uma miniatura do avião que eles desenharam para a Gol em 2014, e lançaram durante a Copa do Mundo, repleto de seus personagens famosos. 

” A busca pelo estilo próprio começou no início dos anos 90. Era o que a gente mais queria, na verdade”, me disseram. “Ele passou por várias transições, o que é normal, é preciso estudar muito e esses estudos vão estar presentes na Pinacoteca. Como artista é muito importante ter autencidade no trabalho. A busca do nosso estilo foi importante para ele se autoexplicar, despertar o imaginário e as pessoas pudessem interpretar da maneira que quisessem”.

Exposição lúdica d’OSGEMEOS, com inflável de 17 metros, marca reabertura da Pinacoteca de SP (Foto: Levi Fanan / Divulgação)

 

Em algumas salas, cobriram as paredes inteiras, criando uma imersão com esculturas, quadros e até carpete, no chão, com “tinta” escorrendo.

Apesar do reconhecimento, dizem ter obras apagadas com frequência, assim como ocorre com outros artistas de rua. “Existe essa campanha há muitos anos, há mais de 15 anos, de remover grafite na cidade. Tem que se adaptar a isso, faz parte do sistema deles, de gastar dinheiro pintando parede de cinza, e a gente de pintar a cidade”, disseram.

 

SERVIÇO

OSGEMEOS: Segredos

Abertura: 15 de outubro de 2020
Visitação: de 15 de outubro de 2020 até 22 de fevereiro de 2021
De quarta a segunda, das 14h às 20h.
Ingressos com horário marcado, vendas somente online no www.pinacoteca.org.br

©











Loading...