Elizabeth de Portzamparc

Localizado em Nîmes, conhecida como a Roma francesa, o Musée de la Romanité, assinado pela arquiteta, urbanista e designer brasileira Elizabeth de Portzamparc, será inaugurado no próximo dia 2 de junho. Apresentando 25 mil peças da coleção arqueológica da cidade, o museu possui estrutura arquitetônica contemporânea, projeto que venceu, em 2012, o concurso internacional promovido para se criar o centro cultural.

Elizabeth de Portzamparc

O edifício de mais de 9 mil m² foi criado com uma proposta de oposição e complementaridade com a histórica Arena de Nîmes, um anfiteatro inaugurado em 27 a.C, durante o Império Romano, e remodelado em 1863 para receber touradas.

Elizabeth de Portzamparc

Pensando nisso, Elizabeth criou para Musée de la Romanité uma fachada, com superfície de 2.500 m², composta por aproximadamente 7 mil lâminas de vidro serigrafadas, que funciona como um espelho para arena, refletindo não só a imagem da construção, como também o diálogo entre o contemporâneo e a antiguidade.



Elizabeth de Portzamparc

Uma grande rua interna, que se pode atravessar mesmo quando o museu está fechado, liga sua praça à um jardim arqueológico, pensado como um museu vegetal, seguindo os vestígios das ruínas romanas. Neste caminho, um átrio de 17 metros de altura revela uma cenografia que mostra fragmentos da história de Nîmes e das peças raras expostas, selecionadas cuidadosamente por Elizabeth e sua equipe, levando os visitantes a descobrir o museu. Grandes rampas em espiral ligam o percurso ao ponto final: um terraço com vista panorâmica da cidade de Nîmes.

Elizabeth de Portzamparc

Elizabeth de Portzamparc foi estudante do primeiro ano de sociologia na PUC do Rio de Janeiro, mas, devido à turbulência da ditadura militar no Brasil, Elizabeth mudou-se para Paris em 1969 para completar sua graduação em planejamento urbano. É casada há 35 anos com o arquiteto vencedor do Prêmio Pritzker de 1994, Christian de Portzamparc, e atualmente comanda, em seu ateliê na França, uma equipe de 30 arquitetos e um núcleo multidisciplinar, responsável pelos estudos de antropologia, sociologia, urbanismo, história da arte e ecologia, assuntos que atravessam todos os seus projetos.

CASA CLAUDIA

©