Atente-se! Conheça os principais cuidados com o aquecedor à gás

O inverno chega e com ele os montes de cobertores, roupas e cachecóis. Tem dias que mesmo com quatro cobertas, duas calças, meias e blusas não tem jeito de se esquentar. Para os friorentos de plantão, instalar um aquecedor dentro de casa é uma ótima opção para evitar perrengues com as baixas temperaturas.

Casa.com.br

O aquecedor à gás, por exemplo, é uma opção (um pouco salgada, porém) em alta para os haters do frio. Os dados da Associação Brasileira de Aquecimento a Gás (ABAGAS) revelam que a média de uso no país é de 1 equipamento para cada 680 habitantes. Mas, atenção: este tipo de sistema demanda instalação correta e manutenção constante para não causar nenhum tipo de acidente para os moradores.

Para auxiliar o internauta do Casa.com.br, os arquitetos Renato Andrade e Erika Mello, do escritório Andrade & Mello Arquitetura, respondem algumas dúvidas recorrentes sobre os cuidados com o aquecedor à gás.

Projeto de Cristiane SchiavoniCasa.com.br

A dupla explica o funcionamento do circuito de um aquecimento à gás:

“A infraestrutura hidráulica do apartamento é modificada para o dobro e é necessário uma tubulação específica para a água quente chegar até o ponto de consumo. Porém, antes disso, a água fria entra no aquecedor de passagem, que funciona com o gás que alimenta a chama da câmara de combustão, e, por sua vez aquece a água através do trocador de calor. Enquanto isso, os vapores da exaustão são eliminados pela chaminé”.

O sistema pode ser instalado tanto em imóveis antigos, quanto em novos. Nos antigos, por exemplo, é necessário consultar a regulamentação interna estabelecida pelo condomínio – uma vez que este deve passar por avaliação técnica e até mesmo modificações para atender as exigências da norma NBR 13.103.

Erika ressalta que o cuidado para os imóveis novos é semelhante. “Jamais deve-se fechar aberturas ou grelhas com marcenarias ou outros eletrodomésticos, pois isso afeta a segurança do aparelho”. Nos dois casos, é imprescindível que um profissional qualificado acompanhe a instalação”.

Projeto de Daiane AntinolfiCasa.com.br

O aquecimento à gás pode dar errado e causar acidentes quando o sistema não possui tecnologia de fluxo balanceado ou hermético. Isso é, quando essa tecnologia usa o ar necessário para a combustão sem comunicação com o lugar onde está instalado. Desta forma, o sistema consome todo o oxigênio do local e prejudica os moradores, que podem sentir náuseas, tonturas, desmaios e, em alguns casos, até a morte.

Renato alerta: “existe também o risco de ocorrer vazamento de gás por conta de má instalação ou manutenção. É importante se atentar a isso sempre”. Uma forma de perceber se há vazamento no local é verificar a coloração da chama no queimador. Caso ela não esteja azulada, é possível que exista a emissão de monóxido de carbono.

Erika ressalta que a tecnologia pode ser uma aliada nestes casos: “alguns aquecedores possuem sensor contra intoxicação por monóxido de carbono, e garantem uma segurança extra para o consumidor”.

©