bioexplorer.net/Reprodução

Com uma variedade de cores, muitas flores acabaram recebendo significados. As vermelhas simbolizam o amor; amarelas, alegria; brancas, pureza; e roxas, nobreza e elegância. A última cor citada – nas flores, folhas e caules – é produzida pelo pigmento antocianina, que também é responsável pelo vermelho, magenta e azul, a depender da sua intensidade.

Bem-vindo ao maravilhoso mundo das mudas roxas:

1. Verbena bonariensis

 

Esse gênero botânico é muito conhecido pelos fãs da série The Vampire Diaries, em que seu uso é fatal para a vida dos vampiros.

Porém, o nosso foco é a verbena bonariensis, uma pequena planta com flores de cinco pétalas. Usada para fazer chás, ela possui um efeito que desencadeia e promove a lactação das mulheres, além de poder atuar como esteróide sexual.

2. Delphinium sp.

 

Perenes e com variações de cor – entre roxo, azul, branco e amarelo – as Delphiniums apresentam tamanhos entre 60 cm a 1,8 m. O nome, que vem da palavra latina que significa golfinho, se refere à forma como o néctar se expele. Mesmo com uma beleza atraente, todas as espécies são altamente tóxicas para humanos e animais.

3. Pulsatilla vulgaris

 

A muda pulsatilla vulgaris cresce rasteira no solo e contém pêlos finos e sedosos, para se isolar e se proteger do frio. Caracterizada por estames amarelos no centro, ela se desenvolve apenas na direção sul, voltada para as encostas.

Por ser membro da família Ranunculaceae – de Ranunculus, que significa “sapinho“ -, presume-se que prospera em locais onde sapos podem ser encontrados.

4. Lilás (Syringa vulgaris)

 

Esse arbusto de grande porte é capaz de atingir de 6 a 7 metros de altura. Com folhas ovais verde-claras, ela também apresenta uma fragrância doce.

5. Clematis sp.

 

A versatilidade dessa espécie é incrível! Ela evolui em qualquer lugar – como paredes, recipientes, ou deixada entre árvores e outras plantas. O gênero Clematis é composto de trepadeiras com belas flores e folhagem verde – que servem de alimento para algumas espécies de lagarta.

6. Salvia sp.

 

As salvias conseguem chegar a até 3 m de altura e são muito fáceis de cultivar, por serem tolerantes à seca e gostarem do verão. Chamadas de “Ímã do Beija-flor“, esses pássaros amam a espécie.

7. Frésia

 

As herbáceas têm aparência de funil e vêm em uma variedade de cores – branco, amarelo, rosa e roxo – a última sendo a mais famosa. Devido ao seu aroma, elas normalmente são cultivadas para a produção de perfumes, xampus, cremes e outros.

8. Nepeta sp.

 

Conhecida também como erva-dos-gatos, pois muitos desses animais são seduzidos pelo odor dela, seu tipo mais comum conta com ramos roxo-azuladas que evoluem durante o início do verão. Com 91 cm a 1,2 m de altura, elas podem ser utilizadas para fazer bordas de jardins.

9. Iris pumila

 

A espécie se diferencia dos outros tipos do gênero pela presença de desenhos em suas sépalas – a estrutura abaixo das pétalas – e seu tamanho, de, aproximadamente, 15 cm. Além do seu aroma atrair insetos e animais, elas geralmente florescem em florestas de pinheiros secos.

Veja também

10. Lavandula spica

 

Populares na medicina herbal, a lavanda é consumida como chá e óleo essencial – boas para induzir o sono e relaxamento.

11. Campainha da China

 

O botão da Campainha da China parece um balão, graças ao aspecto inflado antes de abrirem e revelarem sua beleza. Elas gostam de climas secos e sombras parciais.

12. Lisianto

 

Conhecida pela sua aparência similar a um sino, que surge dos longos caules, Lisianto é uma planta ornamental muito conhecida.

13. Lírio-do-Nilo (Agapanthus africanus)

 

O nome desse ramo é derivado das duas palavras gregas “agape” e “aanthus”, que significam “amor” e “flor”, respectivamente. As agapanthus, que parecem lírios, têm pétalas roxas, azuis e, às vezes, brancas.

14. Ipomoea purpurea

 

A ipomoea purpurea evolui no início da manhã e começa a enrugar algumas horas depois. Insetos e beija-flores são facilmente encantados por ela. Por causa das propriedades laxantes presentes em suas sementes, são muito usadas na medicina.

15. Solanum dulcamara

 

Os ramos herbáceos que morrem a cada ano torna a espécie singular. Com formato de estrela, elas produzem mau cheiro ao serem esmagadas e são tóxicas para os animais.

16. Índigo selvagem azul (Baptisia australis)

 

Pertencente à família Fabaceae, a mesma dos trevos e ervilhas, a muda é consumida como corante, resultando na cor índigo. Apesar de constar como tóxica, suas raízes são utilizadas para a produção de remédios.

17. Aconitum variegatum

 

Mais uma para os fãs de obras sobrenaturais, essa é a famosa wolfsbane, perigosa para lobisomens. Saindo da ficção, a planta é realmente venenosa e a ingestão, mesmo em pequenas quantidades, pode causar problemas gastrointestinais.

18. Áster-da-china (Callistephus chinensis)

 

Nativa da China, a muda – de 30 a 91 cm de altura – lembra as margaridas.

19. Hortênsia (Hydrangea macrophylla)

 

A hortênsia é muito útil para quem possui um jardim, pois ela indica o pH do solo em que foi plantada. As cores roxas e azuis mostram que a terra é ácida e as rosas que é alcalina.

20. Cosmos bipinnatus

 

Atualmente, existem apenas 3 espécies do gênero: cosmos bipinnatus, cosmos sulphureus e cosmos atrosanguineus. Entre eles, a cosmos bipinnatus é a mais comum. Definida pelo seu centro amarelo e pétalas de púrpura a vermelho-vinho, o ramo chega entre 48 cm e 1,2 m de altura.

21. Cattleya labiata

 

A orquídes Cattleya prospera em temperaturas quentes e áreas ligeiramente iluminadas. Também conhecida como orquídea Corsage, antigamente era usada pelas mulheres como buquê em ocasiões especiais.

22. Iberis sempervirens

 

Essa planta perene mede de 30 a 45 centímetros de altura e tem flores muito delicadas. Elas amadurecem no início da primavera ou verão e, depois disso, conseguem ou não crescer durante o outono.

23. Brinco-de-princesa

 

Ela tem dois tons, as sépalas são vermelhas brilhantes, enquanto suas pétalas são roxas. Devido a sua aparência colorida, insetos e beija-flores gostam muito da brinco-de-princesa. Os frutos de todas as espécies são comestíveis.

24. Dedaleira (Digitalis purpurea)

 

As folhas dessa planta contém um composto denominado digitalis, considerado venenoso, mas, também, uma potencial cura para doenças cardíacas.

25. Liatris spicata

 

Conhecida por ser um ímã de insetos, a liatris pode chamar atenção de borboletas-monarca e rabo-de-andorinha. Assim como qualquer outro membro da família Asteraceae, a muda cresce a partir de bulbos ou rebentos que começam a surgir durante a primavera e evoluem no final do verão.

*Via BioExplorer

©











Loading...