De acordo com os planos desenvolvidos pelo Parque Arqueológico do Coliseu e pelo Ministério de Patrimônio Cultural e Atividades e Turismo da Itália, o piso da arena, deteriorado pelo tempo, será restaurado. “A reconstrução da Arena do Coliseu é uma grande ideia que viajou ao redor do mundo”, disse o ministro do Patrimônio Cultural e Atividades e Turismo, Dario Franceschini, em nota. O governo italiano está planejando adicionar um piso retrátil ao anfiteatro Coliseu de Roma para que as visitas possam ser realizadas dentro da arena.

“Será uma grande intervenção tecnológica que dará aos visitantes a oportunidade não só de ver as caves, mas de admirar a beleza do Coliseu desde o centro da arena,” continuou. “O objetivo é tornar a superfície do piso da Arena do Coliseu utilizável novamente.”

Diliff/Wikimedia Commons/dezeen

Os planos atuais contemplam um piso retrátil, instalado acima do hipogeu, para que esta área ainda possa ser vista, mas que possa ser coberta de forma que fique protegida das intempéries para ser utilizada para apresentações. O hipogeu de dois andares, que continha 80 elevadores para trazer animais e gladiadores diretamente para a arena, ficou exposto desde que o piso de madeira se deteriorou. 

“O objetivo é reabilitar a superfície do piso da arena e identificar uma solução tecnológica compatível e reversível para a cobertura dos espaços subterrâneos”, explica a nota do Ministério do Patrimônio Cultural e Atividades e Turismo.

“As intervenções devem ser concebidas de forma a oferecer simultaneamente a percepção do nível da arena em que os jogos decorreram e a visão do complexo sistema de estruturas e mecanismos subjacentes”.

Mathew Schwartz/Unsplash/dezeen

Previsto para ser construído até 2023, o piso retrátil incluirá uma série de elevadores para conectar a área subterrânea ao nível da arena e deverá custar 18,5 milhões de euros. Para criar o piso retrátil, o governo italiano está procurando por equipes de design, que têm até 1º de fevereiro para enviar propostas.

“A nova arena deverá ser concebida como um piso unitário, de alto conteúdo tecnológico, constituído por dispositivos mecanizados de abertura e fechamento, permitindo aos visitantes compreender a sinergia e a estreita relação com o subsolo, utilizando também sistemas que remetem aos mecanismos dos elevadores e das antigas cenas móveis”, continuou o Ministério do Patrimônio e Atividades Culturais e do Turismo.

Nicholas Hartmann através do Wikimedia Commons/dezeen

Concluído em 80 d.C., o Coliseu podia acomodar entre 50.000 a 80.000 pessoas e foi usado para competições de gladiadores durante o Império Romano. Após a queda do Império Romano, a arena ficou em mau estado, mas continua a ser um dos símbolos mais conhecidos da Roma Antiga. É uma das atrações mais visitadas de Roma, com cerca de 7 milhões de turistas que visitam anualmente.

 

©











Loading...