No estar, ficam trabalhos de Angelo Venosa (à esq.) e Carla Guagliardi. As poltronas (Arquivo Contemporâneo) são de Jorge Zalszupin. Tapete da linha CASA CLAUDIA (Galeria Hathi) e almofadas da Trama Casa.Revista CASA CLAUDIA

Daniel Senise estudou engenharia, frequentou as aulas do Parque Laje, fez parte da Geração 80, formada ali, e virou artista plástico badalado. Porém gosta de brincar, dizendo que sua real vocação é para a arquitetura. Adora uma reforma, assume que sente o maior prazer em arrumar a casa e detesta espaços abarrotados. “Sou um minimalista, mas que preza a história e a personalidade”, diz.

Um dos exemplares da série Violões, de Chiara Banf, se destaca na varanda, acima do sofá trazido de uma viagem a Tiradentes (MG). Abajur da Lumini e poltrona de
Joaquim Tenreiro.Revista CASA CLAUDIA

A estética limpa que aprecia se aproxima do visual de uma galeria de arte, com áreas livres e muito branco e luz natural. Para criar esse clima no apartamento em que vive com a mulher, a galerista Fabiola Ceni, e o filho Leo, 11 meses, no Arpoador, ele pediu à arquiteta Tania Chueke para quebrar paredes e redesenhar a planta.

O arquiteto Lucas Senise, filho de Daniel, desenhou a cadeira em que o artista aparece sentado.Revista CASA CLAUDIA

Ela incorporou a varanda à sala e interligou os demais espaços com generosas portas de correr. “Daniel gosta de olhar através. Detesta confinamento e ambientes compartimentados”, afirma. A fim de valorizar a amplitude, Tania não rebaixou o pé-direito e trocou a paginação diagonal dos tacos de peroba da sala por uma disposição reta. “Ficou mais simples e contemporâneo.”

Sobre a mesa de centro, escultura de Angelo Venosa.Revista CASA CLAUDIA

Poltronas de Joaquim Tenreiro e Jorge Zalszupin e um sofá inspirado no traço de Sergio Rodrigues são alguns dos garimpos de Daniel, que diz preferir o mobiliário assinado para compor o estilo neutro e elegante da decoração. “O bom design valoriza o acervo de arte contemporânea. Há um diálogo”, afirma ele, que, de vez em quando, troca os quadros de lugar.



Escultura de Afonso Tostes e, ao fundo, tela de Daniel Senise. Mesa da Ovo e cadeiras da Novo Ambiente.Revista CASA CLAUDIA

“Sempre compro obras novas, a coleção é dinâmica. Assim, o apartamento muda de cara. O que importa é que a base é simples e bem iluminada. Fica fácil de mexer”, explica. Segundo Fabiola, além de cuidar do visual dos ambientes, o artista também administra a casa com perfeição. “Ele organiza o dia a dia para que todas as peças se encaixem no seu universo estético”, conta.

No quarto de Leo, a foto de Enrica Bernardelli retrata Zoe, filha de Daniel, e se
junta a uma tela recente do morador.Revista CASA CLAUDIA

O próximo projeto do casal é reformar um apê de arquitetura modernista, recém-adquirido em São Paulo. Já que ambos vivem na ponte-aérea, ter um endereço carioca e outro paulistano será bem prático. “Daniel está feliz da vida com essa nova empreitada. É mais uma reforma a caminho”, finaliza a galerista.

O móvel baixo, perto da janela, abriga escultura de Augusto Herkenhoff, livros e vaso do Gabinete Duilio Sartori.Revista CASA CLAUDIA
O tapete de Marilá Dardot também é uma obra de arte e remete ao livro de J. D. Salinger. Foto de Mauro Restiffe.Revista CASA CLAUDIA
Na suíte, o tapete kilim traz um toque de cor, assim como a colcha e as almofadas de linho (Trama Casa). Na parede, pintura de Daniel Senise.Revista CASA CLAUDIA

CASA CLAUDIA

©