Divulgação/Editora Olhares / Janela

Todos sabem que as cores têm a capacidade de transformar um ambiente, seja tornando-o mais agradável, aconchegante, calmo e até mesmo opressivo. Entender as relações que criamos com as cores, relacionando-as a emoções, como a alegria, ou a sensações, como a tranquilidade ou bem-estar, são essenciais no trabalho de arquitetos, designers, publicitários e profissionais que trabalham com a criatividade.

Essa combinação entre cores e sentimentos não acontece por acaso, são resultado de uma série de vivências comuns que ficam armazenadas no nosso subconsciente. Associar o vermelho ao luxo, o branco à pureza, ou a combinação de preto, vermelho e dourado a poder, faz parte desse repertório coletivo que vamos adquirindo ao longo da vida.

Instalação MUTAÇÕES19, de Consuelo Cornelsen.Ito Cornelsen/Editora Olhares / Janela

É isso que A psicologia das cores, o novo título da Editora Olhares, investiga. Ao todo, 13 cores e seus acordes cromáticos (diferentes combinações entre si), são explicados e exemplificados ao longo de 311 páginas. É o mais extenso e completo estudo de cores já feito, um manual essencial para qualquer profissional que trabalhe com cores, principalmente designers, arquitetos, decoradores e publicitários. Neste artigo, exemplificamos conceitos de cinco desses tons e como eles influenciam no décor.

Branco

 

Evelyn Müller/Casa.com.br

É a soma de todas as cores, mas também uma cor em si para a psicologia das cores, já que atribuímos a ele sentimentos e propriedades que não são atribuídos a nenhuma outra cor. Novo, bem, verdade, honestidade e inocência são alguns dos significados do branco, não sendo relacionado a nenhum conceito negativo. É a cor associada ao design minimalista, que dá destaque às formas no lugar das cores. Mesmo em outros estilos, o branco é essencial, uma base na qual outros tons ganham mais destaque.

Vermelho

Espaço projetado por João Mansur e Matheus Garcia, na mostra Modernos Eternos 2019

(DivulgaçãoEditora Olhares Janela)

Espaço projetado por João Mansur e Matheus Garcia, na mostra Modernos Eternos 2019

(DivulgaçãoEditora Olhares Janela)

O vermelho, cor associada a todas as paixões, do amor ao ódio, provoca diferentes sentimentos. É relacionada ao fogo, ao sangue e à vida. Por ser relacionada com tantas sensações e simbolismos fortes, é uma cor menos utilizada na decoração, principalmente em tons vivos e vibrantes. Mesmo quando empregada em um móvel ou em uma única parede, não fica em segundo plano, tornando-se sempre o protagonista do ambiente.

Azul

 

Apartamento assinado por Mariana Carvalho

(Evelyn MüllerCasa.com.br)

tons-suaves-em-apartamento-reformado-por-completo-casa.com-3(Evelyn MüllerCasa.com.br)
tons-suaves-em-apartamento-reformado-por-completo-casa.com-13(Evelyn MüllerCasa.com.br)

O azul é a cor apontada como predileta de 46% dos homens e 44% das mulheres entre as duas mil pessoas entrevistadas para o livro. Quando junto de outras cores, o tom aparece associado apenas a sentimentos bons, o que talvez justifique ser tão querido. Entre os sentimentos associados ao azul estão a simpatia, harmonia, amizade e confiança. No décor, é associado a ambientes frios, devido seu efeito calmante, se adequando bem aos quartos e espaços de descanso e relaxamento.

Verde

 

Apartamento assinado por Beatriz Quinelato.Adriano Escanhuela/Editora Olhares / Janela

Além de sua óbvia conexão com a natureza, o verde também é relacionado a outros elementos e sentimentos, como esperança, fertilidade, credibilidade e frescor. Embora seja resultado da mistura de duas cores primárias, o azul e o amarelo, na psicologia das cores é considerada primária, pois é elementar na nossa vivência e simbologia. Não é considerado quente nem frio, mas no meio destes extremos, sendo uma cor cada vez mais apreciada com o passar da idade.

Amarelo

 

Apartamento assinado por Andrea Chicharo.

(André NazarethEditora Olhares Janela)

1905-monte-estoril-18(André NazarethEditora Olhares Janela)

O amarelo é considerado a cor mais contraditória das trezes analisadas em A psicologia das cores. Isso porque o tom é relacionado a diversos sentimentos que se opõem entre si, entre eles o otimismo, a irritação, o ciúme, a espontaneidade e a jovialidade, associada ao sol e ao ouro. É a cor mais clara entre todas, que depende da composição com outras para criar a atmosfera desejada. Quando junta do branco, por exemplo, parece clara, já quando composta com o preto, berrante.

Quer saber mais? Adquira seu exemplar de A psicologia das cores na loja virtual da Olhares ou nas principais livrarias e marketplaces.

Leia mais conteúdos como este em Olhares/Janela!

©











Loading...