8 centros culturais alternativos para ir em São Paulo (Foto: Divulgação)

Debates políticos, oficinas práticas, palestras, música, arte e gastronomia – estes são os ingredientes principais de boa parte dos centros culturais que compõe a cena alternativa da cidade de São Paulo. Espaços coletivos, multifuncionais, multidisciplinares comprometidos em reunir a vanguarda artística da cidade – cada vez mais deslocada do mainstream – e promover momentos de trocas e debates das principais pautas sociais da atualidade. Lugares que carregam em si a despretensão do underground e prometem ganhar os holofotes dando abrigo, bagagem e alguns bons drinques e quitutes aos contestadores, criativos e curiosos da cidade, do Brasil e do mundo.

+ 10 bares e restaurantes com vista de tirar o fôlego em São Paulo
+ 6 tours em São Paulo para quem quer conhecer melhor a cidade
+ Onde doar móveis usados em São Paulo
+ Confira 13 lugares para comer um brunch em São Paulo

1. Al Janiah

 

8 centros culturais alternativos para ir em São Paulo (Foto: Divulgação)

Bar, restaurante e espaço de encontro. Um lugar onde política, arte, cultura, música e cinema se expressam criticamente por meio de eventos, cursos, peças de teatro e exibições de filmes e fotográfias. Assim se descreve o Al Janiah, no bairro do Bixiga, que tem ao menos metade do quadro de funcionários composto por refugiados e chama atenção não só pelos tradicionais pratos árabes, mas também pelo engajamento e a agenda sempre movimentada.

2. Aparelha Luzia
8 centros culturais alternativos para ir em São Paulo (Foto: Divulgação)

 

O Aparelha Luzia, idealizado pela recém-eleita Erica Malunguinho, primeira deputada estadual transgênera de São Paulo, foi pensado como um quilombo urbano. O galpão, que fica no número 78 da Rua Apa, no centro de São Paulo, reúne exposições, shows, rodas, de samba e de debates políticos entre tantos outros eventos. Com o público majoritariamente negro, o espaço é ao mesmo tempo uma área de refúgio, resistência e compartilhamento de ideias.

3. Casa 1

 

8 centros culturais alternativos para ir em São Paulo (Foto: Divulgação)

República de acolhida para pessoas LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros), a Casa 1 se tornou também um centro cultural que recebe diversas atividades, de shows de música a rodas de conversa, cursos e workshops – isso sem contar a biblioteca de acervo aberto e gratuito. Tudo distribuindo entre as três salas do casarão da Rua Condessa de São Joaquim, e os seis espaços do galpão localizado na Rua Adoniran Barbosa.

4. Casa da Lapa

 

8 centros culturais alternativos para ir em São Paulo (Foto: Divulgação)

“Um espaço independente de criação e discussão de arte e cidade”, assim é a Casa da Lapa, um coletivo de artistas que é também residência coletiva e espaço de criação. Entre oficinas, troca de ideias e festas promovidas pelo grupo nascem intervenções urbanas e artísticas que se espalham e repensam a cidade.

5. Casa do povo
8 centros culturais alternativos para ir em São Paulo (Foto: Divulgação)

Criada por parcela da comunidade judaica em 1946, a Casa do Povo resiste até hoje de forma surpreendentemente moderna. O edifício, que já abrigou uma escola, agora se vê como um “monumento vivo”, um espaço vazio que é constantemente preenchido por meio das mais diversas ações. Ali, artistas e coletivos se instalam e desenvolvem obras, ao mesmo tempo que a casa promove cursos, exposições e até sessões de terapia.

6. Condomínio Cultural
8 centros culturais alternativos para ir em São Paulo (Foto: Divulgação)

O prédio, que já foi uma escola e um hospital e até hoje ostenta azulejos verde água em algumas de suas paredes, abriga artistas e empreendedores culturais e tem atividades voltadas para a criação e experimentação. Coordenado pela Associação Instituto Cultural Mundo Novo, o Condomínio Cultural e seus condôminos ainda desenvolvem projetos que buscam diariamente promover a integração com o bairro da Vila Anglo Brasileira e outros criadores do Brasil e do mundo.

7. Matilha Cultural
8 centros culturais alternativos para ir em São Paulo (Foto: Divulgação)

Arte, ativismo e meio-ambiente – todos eles tem o seu espaço dentro da casa que abriga a Matilha Cultural. O centro localizado na rua Rego Freitas, 542, tem uma programação pública sempre gratuita, ou a preços populares, e se destaca por ir além da arte e se envolver ativamente em ações que discutem sustentabilidade e a causa animal.

8. Mundo Pensante
8 centros culturais alternativos para ir em São Paulo (Foto: Divulgação)

Já relativamente famoso, ao menos aos frequentadores do bairro do Bixiga, o Mundo Pensante abriga todo tipo de confraternização cultural, de festas e shows a ações de coletivos artísticos. Com eventos noturnos e vespertinos e estilos que vão do jazz ao samba, a casa afirma agir sempre no sentido de contribuir com o desenvolvimento da identidade cultural da cidade de São Paulo.

Quer acessar mais conteúdos da Casa Vogue? Baixe já o nosso aplicativo, disponível também no Globo Mais. Nele você tem acesso a reportagens exclusivas e às edições das melhores publicações do Brasil. Cadastre-se agora e experimente 30 dias grátis.

 

 

©






 

SUBSCRIBE:  DIY & Craft feed | Home & Garden feed Fashion & Style feed

 

Related Post: